Futebol

Cruzeiro é acionado na Fifa por clube uruguaio; entenda os motivos

Publicado às

Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.

Crédito: Rafael Ribeiro/Light Press/Cruzeiro/Divulgação

Nos últimos anos, o Cruzeiro tem adotado a estratégia de contratar jogadores do mercado sul-americano, contudo, algumas dessas negociações têm virado uma verdadeira dor de cabeça para a Raposa. Depois do caso Ábila, que acabou com o clube celeste sendo acionado pelo Huracán, da Argentina, na Fifa, agora foi a vez do Defensor, do Uruguai, cobrar uma dívida referente a Arrascaeta e Gonzalo Latorre.

Só no que diz respeito a Gonzalo Latorre, jogador que foi contratado pelo Cruzeiro junto com Arrascaeta, o Defensor cobra cerca de R$ 3,7 milhões. O clube estrelado até tentou devolver o atleta, mas a opção foi negada pelos uruguaios. Vale lembrar que, Latorre é ligado a Daniel Fonseca, mesmo empresário de Arrascaeta. À época da negociação, o agente só negociaria Arrascaeta se Latorre fosse envolvido, cláusula que foi aceita por Valdir Barbosa, que esteve à frente das tratativas.

Latorre nunca emplacou no Cruzeiro e já sem idade para atuar na base, será aproveitado no time sub-23, que faz a sua estreia no Brasileirão da categoria nesta quarta-feira, às 19h, em Nova Serrana, diante do Figueirense.

Já em relação a Arrascaeta, o valor é referente ao R$ 2 milhões que foram parcelados em 29 prestações. Segundo informa o Superesportes, a Raposa só pagou 12 prestações. O uruguaio foi negociado por 4 milhões de euros, sendo que 50% deste valor foram pagos à vista.

Ainda segundo o portal Superesportes, o advogado Breno Tanuri, que representa o Cruzeiro na Fifa, diz que a situação de Arrascaeta ainda pode se arrastar por um tempo maior na entidade máxima do futebol.

LEIA MAIS:

CRUZEIRO TERÁ QUATRO PROFISSIONAIS NO ELENCO QUE DISPUTA O BRASILEIRÃO SUB-23