Futebol

Cueva fala sobre futuro e coloca uma meta para um dia sair do São Paulo

Publicado às

Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.

Cueva

Crédito: Reprodução

Aos poucos Cueva vai voltando a ter aquele futebol que o são-paulino se acostumou a ver. Nas últimas três partidas, foram três assistências e participação direta nas vitórias contra Flamengo e Atlético-PR. Mas já dá para pensar num futuro longe do Tricolor? O peruano garantiu que não e antes de pensar nisso quer ganhar um título.

Na última janela de transferências, Cueva esteve perto de deixar o São Paulo. Clubes do exterior, como da Turquia, tiveram interesse no camisa 10, porém o meia continuou e é no Tricolor que o peruano pretende ficar.

“Sempre falo que só gostaria de deixar o São Paulo com um título. Nesse um ano e meio que estou aqui, ainda não consegui. Tenho de continuar trabalhando”, declarou Cueva.

Com a chegada de Dorival Junior, Cueva recuperou a boa fase e hoje é um dos quatro maiores garçons do Brasileirão, onde já deu sete assistências para gols do São Paulo. Além disso, nos jogos em que o peruano fez gol ou deu passe que culminaram com a bola na rede, o São Paulo está invicto no Brasileirão (VEJA OS NÚMEROS).

“São momentos. Comecei muito bem o ano com todo o grupo. Depois tive uma lesão e não consegui repetir o rendimento. Mas nunca me escondi e valorizo isso. Falaram muitas coisas sobre a minha pessoa, mas nunca me escondi. Sinto que o que faço é importante para o grupo e temos que continuar trabalhando juntos”, explicou.

Entendendo a importância atual de Cueva, principalmente, o São Paulo pediu a antecipação do jogo contra o Atlético-GO, já que este é um dos jogos que o camisa 10 perderia por servir o Peru na Repescagem para a Copa do Mundo. O jogador comentou sobre e elogiou a diretoria.

“Sempre falei que a diretoria vem fazendo seu trabalho da melhor maneira. Estou tranquilo, estou feliz por poder ajudar a minha equipe. Gostaria de estar em todos os jogos da minha equipe, mas nem sempre isso é possível. Procuro defender o São Paulo e a seleção do Peru da mesma maneira”, afirmou.

“Lógico que para mim é algo que me motiva porque sei que sou importante para o time e para meus companheiros. Penso que nesse momento, o mais importante é estarmos todos juntos para que o São Paulo saia dessa situação”, completou.

LEIA MAIS
SÃO PAULO SUPERA MARCA DE 500 MIL EM PÚBLICO NO BRASILEIRÃO; VEJA O TOP-10