Doria acredita que privatização de Interlagos será completada até abril de 2018

Publicado às

Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.

Crédito: Foto: Leonardo Marson

O prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) afirmou nesta quarta-feira (25) que pretende encerrar a privatização do Autódromo de Interlagos até abril do ano que vem. De acordo com o político, que esteve no circuito que recebe o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 nesta manhã, esta será a última vez que a principal categoria do automobilismo mundial visitará a capital paulista com o circuito sob controle da Prefeitura.

Sem dizer quais e quantas empresas entraram com a PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse), Doria afirma ainda que a Fórmula 1 seguirá na capital paulista até o final de contrato com a categoria, em 2020. O prefeito também acredita na manutenção do evento após este prazo, levando em conta o histórico do autódromo, que receberá o GP do Brasil pela 36ª vez.

“A privatização do Autódromo de Interlagos, que será colocada junto à Câmara Municipal, acho que teremos a aprovação, e faz parte do programa de privatização que, no contrato o novo proprietário do autódromo respeite o contrato existente até 2020, com todas as cláusulas existentes, que serão obedecidas”, disse Doria, que espera arrecadas entre 2 e 2,5 bilhão de reais com a privatização do autódromo.

“Este será, provavelmente, o último Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 com o autódromo sob controle da Prefeitura de São Paulo. A partir do ano que vem, em uma data que será definida em função do leilão, o autódromo será leiloado na Bolsa de Valores de São Paulo. E aí teremos um novo proprietário, e o contrato com a Fórmula 1 será mantido até 2020, e nosso desejo é mantê-lo por muitos anos”, seguiu o prefeito, que não citou quais empresas estão interessadas em adquirir a área esportiva.

“Há algumas manifestações prévias de interesse, e não é prudente que nós possamos revelar, mas já há manifestações feitas, e que serão formalizadas ao Wilson Poit [secretário de desestatização da cidade] tão logo tenhamos a aprovação da Câmara nas duas votações. E depois, o Poit poderá revelar os nomes das empresas, mas há grupos brasileiros e internacionais também”, prosseguiu Doria.

“O Autódromo de Interlagos e, sobretudo, a existência da Fórmula 1, formam um pacote muito atraente para grandes investidores em eventos esportivos, e também para investidores que, independentemente da condição do uso da pista, também tem interesse”, seguiu o atual prefeito da cidade, que garantiu ainda que o local seguirá como uma pista de corrida.

“O Autódromo de Interlagos continuará sendo um autódromo, não vai mudar sua finalidade. Ele terá uma complementariedade de investimento imobiliário, até para poder pagar o volume de gastos que representarão o ingresso de receitas para a prefeitura, e o investimento complementar, não obstante os investimentos da prefeitura e do Governo Federal nos últimos anos”, disse Doria, que explicou como seguirá o processo de privatização.

“Nós teremos neste ano ainda, até dezembro, o PMI. O leilão não acontecerá neste ano, mas no início do ano que vem, em data a ser marcada. Os PMIs, sim, poderão ocorrer ou ocorrerão até o final deste ano ou até janeiro. Feito isso, a modelagem será finalizada pelo secretário Wilson Poit e será agendado o leilão na Bolsa de Valores de São Paulo. A nossa expectativa, se tudo correr bem, é de que até março ou abril, o leilão esteja realizado”, completou.

Foto: Leonardo Marson