Futebol

Em 2012, Grêmio venceu o Barcelona em Guayaquil com gol de zagueiro; reveja

Publicado às

Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Grêmio

Foto: Grêmio

Crédito: Foto: Reprodução/RBSTV

Jogar no Estádio Monumental de Guayaquil não é novidade para o Grêmio. Em 2012, o clube gaúcho esteve lá pela disputa das oitavas de final da Copa Sul-Americana e desde então mantém boas recordações. No jogo de ida, disputado exatamente no Equador, os visitantes venceram por 1×0 com um gol de cabeça do zagueiro Werley, que hoje defende o Coritiba.

Capitão do time naquela noite, o defensor testou firme um belo cruzamento feito por Elano. Naquela equipe dirigida por Vanderlei Luxemburgo, havia dois jogadores que atualmente também defendem o tricolor: Marcelo Grohe e Edílson – ambos serão titulares no jogo desta quarta-feira pela ida semifinal da Libertadores.

No jogo da volta, no Olímpico, em Porto Alegre, o Grêmio venceu por 2×1 com um gol contra de Perlaza e outro de Zé Roberto e avançou à fase de quartas de final. Na tentativa de ir para a semi, os brasileiros perderam a vaga nos acréscimos para o colombiano Millonarios. Esta Sul-Americana seria vencida pelo São Paulo.

O atual time do Barcelona, que se prepara para receber o Grêmio, tinha jogadores como o goleiro Banguera e o meia Damián Diáz, que seguem no elenco atual. O atacante Arroyo, uma das opções de Renato Gaúcho para quarta-feira, defendia os equatorianos na época. Erazo, zagueiro conhecido dos brasileiros e com passagem pelo próprio Grêmio em 2015, também.

Para chegar até à semi da Libertadores, o Grêmio deixou pelo caminho o Godoy Cruz e o Botafogo. Já o Barcelona passou pelos brasileiros Palmeiras e Santos. Quem avançar aguarda o vencedor do duelo argentino entre Lanús e River Plate.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Carrasco dos brasileiros, técnico do Barcelona mira trabalhar no país: “Uma honra”

Jornal gaúcho se descuida e coloca Inter como adversário do Barcelona

Zagueiro do Palmeiras alerta Grêmio sobre o estilo de jogo do Barcelona

Técnico do Barcelona mantém confiança, mas admite: “Óbvio que o Grêmio é favorito”