Fiel ao seu estilo, Tabárez garante: “Não é hora de arriscar”

Uruguai enfrenta a Venezuela na quinta-feira 5 de outubro, às 18h (horário de Brasília) em San Cristobal, Venezuela. A principal preocupação Celeste está na presença ou não de Martín Cáceres, que saiu contundido no ombro esquerdo no jogo de domingo passado do seu clube, o Hellas Verona. Acostumado a correr poucos riscos, e bastante criticado por isso, o técnico uruguaio Oscar Tabárez disse na entrevista coletiva de ontem:

Nicolás Alejandro Bianchi Sica
Colaborador do Torcedores

“O jogo que vamos disputar é muito importante, mas não é hora de arriscar, porque temos mais um jogo e dependendo do resultado o próximo que será decisivo”

Acostumado a chegar nas rodadas finais das Eliminatórias precisando de pontos para garantir a vaga, Uruguai vive uma situação diferente, pois sabe que um empate pode carimbar o passaporte uruguaio para a Rússia no ano que vem. Comparando o jogo de amanhã com o realizado em 2013, no qual um empate praticamente tirava a Celeste da Copa 2014, o técnico uruguaio fez um paralelo: “Chegamos com uma quantidade importante de pontos. Daquela vez  se não obtivéssemos um bom resultado nossa situação ficaria bem complicada”, afirmou Tabárez.

Veja o gol da vitória uruguaia em 2013

O treinador uruguaio, que está completando sua quarta disputa de Eliminatórias, elogia a Venezuela e seu processo de renovação: “Tem incorporado jogadores da última Sub 20 que tem bom nível. Tiraram pontos da Argentina e da Colômbia e o jogo contra eles será difícil porque tem critério para jogar. Precisaremos limitá-los para nos aproximar da Copa do Mundo”, analisa Tabárez.

Uruguai 3×0 Venezuela – Veja resumo do jogo da 9a rodada

RENOVAÇÃO LENTA, GRADUAL E SEGURA

O comandante da seleção uruguaia surpreendeu na rodada anterior, quando escalou como titular no jogo decisivo em Assunção o volante Federico Valverde, de apenas 19 anos. Desta vez, além de Valverde, Lemos e Pereiro, provenientes das seleções de base, foram convocados Rodrigo Bentancur, volante da Juventus de apenas 19 anos e Maximiliano Gómez, atacante do Celta de Vigo e com 21 anos. Muito criticado por insistir sempre nos mesmos nomes, o técnico ironizou as críticas, dizendo:

“Há duas semanas a seleção era um clube de amigos. Hoje sou um infeliz porque tenho que escolher entre 34 jogadores”.

Já projetando a convocação para a Copa do Mundo 2018, e avaliando as possibilidades dos novos jogadores permanecerem na seleção, Tabárez foi categórico: “Se tem um jogador jovem ou um convocado há tempos, a sua participação no Mundial dependerá do que faça daqui em diante. Tenho bom relacionamento com todos e meu objetivo é montar o melhor elenco”, concluiu o treinador.

A seleção uruguaia deverá começar o jogo com Fernando Muslera no gol. Maxi Pereira, José Giménez, Diego Godín e Martín Cáceres ou Gastón Silva na linha de fundo. Nahitán Nández, Matías Vecino, Federico Valverde e Cristian Rodriguez no meio-campo com Edinson Cavani e Luis Suárez no ataque. Uma vitória e até mesmo um empate podem garantir a vaga do Uruguai na Copa do Mundo 2018.

Veja também: Cavani encerra polêmica com Neymar