Basquete

“Estou pronto para levar o Paulistano ao topo”, afirma armador Deryk Ramos

Publicado às

Baiano, 22 anos, jornalista em formação pela Universidade Jorge Amado (UniJorge). Apaixonado por esportes em geral, de preferência basquete, tênis e futebol, este último com maior fervor. Contato: victorw10@outlook.com

Crédito: Foto: Divulgação/Paulistano

Tido como um dos jogadores promissores do basquete brasileiro, o armador Deryk Ramos acertou com o Paulistano para seguir adiante em sua carreira após dois anos no Brasília. Entrevistado com exclusividade pelo Torcedores.com, o jogador contou sobre seu início de trajetória no Paulistano e sobre o que projeta para o seu futuro.

Com 23 anos, Deryk Ramos está em sua oitava temporada como jogador profissional. Com uma carreira consolidade apesar da pouca idade, armador já conquistou títulos individuais importantes, como o de jogador revelação do NBB, jogador que mais desenvolveu no NBB e até mesmo o troféu de MVP das finais da Liga das Américas de 2015, com o Brasília, com atuações de alto nível. Isso tudo sem contar as convocações para a Seleção Brasileira principal.

De chegada no Paulistano após dois anos no Brasília, Deryk Ramos já alcançou sua primeira final. O armador ajudou o time alvirrubro a conquistar uma grande virada sobre o Mogi, na semifinal do Campeonato Paulista. A equipe chegou a estar em uma desvantagem de 2 a 0 na série semifinal, mas virou para 3 a 2. Assim, avançou para encarar Franca na decisão do torneio estadual mais importante do basquete brasileiro.

Confira o bate-papo com o armador:

Torcedores.com: O que espera da série decisiva do Paulistão contra o Franca?

Deryk Ramos: Franca investiu bastante para esta temporada, contratou jogadores experientes e de alta qualidade. Acredito que teremos jogos de altíssimo nível, dignos de final de campeonato mesmo. Os detalhes farão a diferença, então o time que estiver mais atento na defesa sairá vencedor, e eu acredito que seja o Paulistano.

T: E sobre o NBB, quais são suas expectativas individuais? E o que o Paulistano espera da competição nacional?

DR: Minhas expectativas aumentaram bastante jogando por Paulistano. Sempre almejo evoluir, temporada a temporada, mas sei que o time tem condições de buscar o topo das competições que vamos disputar nesta temporada. A comissão técnica e meus companheiros me ajudam bastante nesse processo de crescimento, de evolução. Fico muito feliz por isso, e o resultado em quadra está sendo demonstrado.

T: Você iniciou sua carreira profissional com uma idade baixa, mas já conquistou prêmios individuais e atuou por outras duas tradicionais equipes do basquete nacional. Acredita que o fato de ter estreado com 16 anos lhe dá a maturidade necessária para liderar o Paulistano nesta temporada?

DR: No basquete, quando você passa por algumas situações boas e ruins, você amadurece, assim como na vida. Eu convivo com grandes jogadores desde muito novo, então acredito estou maduro o suficiente para os desafios que a carreira tem me dado. O dia a dia com jogadores mais experientes e de caráter ajuda muito no desenvolvimento dos atletas mais novos. Hoje eu estou pronto para levar o Paulistano até o topo, sabendo o papel de cada um dentro do grupo. Estou focado em colaborar com o sucesso do time, e todos os jogadores estão com esse pensamento.

T: Novo técnico da Seleção Brasileira, Alex Petrovic já afirmou que vai em busca de renovação para o Brasil. Pensando em Mundial 2019 e Olimpíada 2021, acredita que obter sucesso nesta temporada vai lhe deixar em boas condições para se firmar de vez na Seleção?

DR: Eu sempre tive como um sonho me firmar na Seleção Brasileira. Isso traz muita experiência, muita evolução. Mas acredito que esse passo virá naturalmente. Quero continuar evoluindo, ajudando Paulistano, e, se tiver que acontecer a convocação, estarei pronto para aproveitar a oportunidade. E jogar pela Seleção é sempre uma honra.

Foto: Divulgação/Paulistano

T: Mesmo ainda jovem, você já foi escolhido em votação popular para disputar duas edições do Jogo das Estrelas do NBB. Qual o significado destas seleções com voto do público?

DR: O fato de você estar na Seleção já é um reconhecimento grande. Saber que você faz o que ama e tem reconhecimento, é uma sensação maravilhosa. Buscar a Seleção me motiva a buscar sempre evoluir. Eu quero estar lá, construir uma história com o Brasil, e esse é um dos motivos para eu me dedicar tanto nos treinos e jogos.

T: Por fim, quais suas maiores metas como jogador de basquete?

DR: Sempre fui um jogador muito dedicado, trabalhador. Eu tenho isso comigo, é assim que eu penso. Se eu quero chegar até o topo, tenho que dar o meu máximo, me dedicar bastante. Então minha maior meta na carreira, hoje, é evoluir para ser o melhor de mim. Eu não tenho um limite para a minha carreira, não gosto disso, e continuarei sendo assim.