Surfe

Medina bate “carrasco”, é campeão em Portugal e luta pelo bi mundial no Havaí; veja combinação

Publicado às

Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.

Crédito: Divulgação/WSL

O Brasil está mais do que vivo do que nunca na luta pelo título mundial do Circuito Mundial de Surfe em 2017. Na manhã desta quarta-feira, Gabriel Medina completou um dia perfeito de ondas com o título da etapa de Peniche, em Portugal, o segundo consecutivo do paulista – após o troféu em Hossegor, na França. O resultado faz com que Gabriel chegue à vice-liderança do ranking com 50,250 pontos, a apenas 3.100 de distância do líder John John Florence.

Havia possibilidade de John John conquistar o título mundial em Portugal, porém o havaiano foi surpreendido nas quartas de final por Kolohe Andino. Para piorar a situação, ele viu Medina dar um show e bater o tricampeão mundial Mick Fanning na mesma fase.

Para assumir a vice-liderança do Mundial, Medina precisava, ao menos, chegar à final em Peniche e conseguiu a façanha com vitória sobre o norte-americano Kanoa Igarashi na penúltima fase. Na grande decisão, veio o australiano Julian Wilson, que havia derrotado o brasileiro na final da mesma etapa de Portugal em 2012, além dos triunfos em Pipeline, em 2014, e Teahupoo nessa temporada.

Desta vez, o campeão mundial de 2014 não deu sopa para o azar em uma decisão emocionante. Após ver Wilson lhe tomar a dianteira da bateria a três minutos do fim, Medina emplacou dois aéreos que impressionaram os juízes. Conclusão: virada para 13,26 (6,93 + 6,33) a 10,94 (6,27 + 4,67) e novo troféu na mão do paulista.

DECISÃO EM PIPELINE

Considerando um descarte, Medina chegará às ondas de Pipeline com 3.100 pontos de desvantagem para John John Florence, o atual campeão mundial. Além dos dois, o sul-africano Jordy Smith e Wilson também terão chances de serem campeões. A etapa que acontece no North Shore de Oahu vai de 8 a 20 de dezembro.

Para ser bicampeão mundial, Medina tem que ser campeão em Pipeline e torcer para que Florence não passe das semifinais. Outra possibilidade é que o brasileiro seja vice-campeão e John John cair até a quinta rodada. Muito possível pelo retrospecto do paulista na última etapa do ano – foi ali onde Gabriel conquistou o título em 2014, mesmo perdendo para Wilson na final. No ano seguinte, mais um vice após decisão contra o compatriota Adriano de Souza.

Quartas de final:

1: Julian Wilson (AUS) 7.50 x Sebastian Zietz (HAV) 7.40
2: John John Florence (HAV) 3.80 x Kolohe Andino (EUA) 14.00
3: Kanoa Igarashi (EUA) 10.83 x Miguel Pupo (BRA) 8.44
4: Gabriel Medina (BRA) 11.33 x Mick Fanning (AUS) 3.17

Semifinais:

1: Julian Wilson (AUS) 16.83 x Kolohe Andino (EUA) 14.56
2: Kanoa Igarashi (EUA) 6.24 x Gabriel Medina (BRA) 11.10

Final:

Julian Wilson (AUS) 10.94 x Gabriel Medina (BRA) 13.26