Futebol

Modesto Roma defende “pijama training” promovido por Levir Culpi no Santos

Publicado às

Estudante de Jornalismo. Setorista no Torcedores.com do Santos e Botafogo.

Santos Modesto Roma

Crédito: Crédito da foto: Pedro Ernesto Guerra Santos FC

Um dos maiores questionamentos sobre o trabalho do treinador Levir Culpi, no Santos, é o excesso de folgas aos jogadores e também os rachões promovidos pelo comandante. O Alvinegro Praiano venceu o Atlético-GO por 1 x 0, no domingo, e os atletas retornaram as atividades apenas na tarde desta quarta-feira.

O Modesto Roma não gostou da programação feita pela comissão técnica do Peixe e teve uma conversa com o comandante santista, mas no evento de lançamento do filme “Pelé – o nascimento de uma lenda”, defendeu o técnico e explica que tem de tratar as coisas de forma “profissional”.

“Eu posso gostar, não gostar, eu converso com Levir, discuto situações como sempre discutimos. Temos relação franca e aberta. Ele tem os motivos, sabe das necessidades do elenco. Elenco vem de maratona forte, de três jogos por semana e precisa descansar. Esse momento se convencionou de “pijama training”. A gente tem que respeitar e entender os aspectos fisiológicos, de preparação física dos profissionais”, disse.

“Acho que o professor Levir não vai dar opinião na pauta da imprensa. Mas a imprensa se vê no direito de formar opinião pública sobre o treinamento do Levir. Precisamos pensar na coisa de forma profissional. Temos que aprender a respeitar profissionais da área e não criar fatos”, completou o dirigente santista.

Em levantamento feito pelos jornalistas Mayra Siqueira (Rádio Globo), Lucas Musetti e Gabriel dos Santos ambos do (Globoesporte.com), a cada cinco dias de Levir Culpi no Peixe, é dada uma folga aos jogadores.

LEIA MAIS: PERTO DE VOLTAR, BRUNO HENRIQUE PARTICIPOU DE QUASE METADE DOS GOLS DO SANTOS NO BRASILEIRÃO