Esportes Olímpicos

Opinião: Afinal de contas, qual é a equipe mais importante da história vôlei nacional?

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução Pelé do Vôlei, Minas homenageou a equipe tricampeã, em uma espécie 'revival' nos seus uniformes para a disputa de mais uma temporada

Muito se fala e discute nos bastidores; qual, de fato é a equipe mais importante do vôlei nacional. Logo se remetem a quantidade de títulos conquistados, as competições mais importantes, assim por diante. Os mais saudosistas vão lembrar-se da Pirelli, Fiat Minas (capitaneado pelo o jovem e brilhante Pelé), Banespa, Papel Report Suzano, entre outros. Para o público que está entre 25 e 35 anos viram a ascensão do Cimed Florianópolis e o citado Minas (geração Giba, Henrique, Ezinho, Rapha, André Nascimento, Samuel e vários outros) mais uma vez. Ambas campeãs várias vezes de Superliga. E ultimamente, o Sada Cruzeiro entrou no Hall das grandes esquipes da história do vôlei mundial. No feminino, temos Rio de Janeiro e Osasco dando as cartas há algum tempo, lado a lado, o Minas, mais uma vez é a referência.

Entretanto, o que muitos deixam de lado e se esquecem completamente, somente títulos não deixa legado. É importante uma continuidade na história que se baseia não em troféus, mas sim, na longevidade de formar atletas, virar referência e poder até de desfrutar de pôr uma equipe quase que juvenil, numa competição do quilate de uma Superliga. Mesmo sem grandes patrocínios, o trabalho de base aliado a sua história, tradição, os coloca sempre em posição de destaque. Essa equipe é o Minas Tênis Clube. Única, por sinal, a disputar todas competições nacionais. Em tempos de crise, times como o Osasco que tem uma marca forte e também tradicional, quase decretou falência e posteriormente, quase ficou fora da Superliga, há alguns anos. O Rio de Janeiro, recentemente perdeu o patrocínio Master, a Unilever e teve que se virar de forma rápida para conseguir outro investidor.

Reprodução: Pelé do Vôlei Oficial- Facebook

 

Verdade seja dita que o patrocinador é de suma importância, mas não pode ser a única fonte de receita de uma equipe. O Minas Tênis é de fato, um clube de esporte, com sede e ginásio próprio. Não é mantido por prefeituras ou usufrui do espaço do mesmo pra poder levar suas partidas. O Minas cedeu em sua história milhares de jogadores para a seleção, o mais recente, o garoto prodígio Lucarelli, entre outros. Muita gente ao ler essa matéria, deve se perguntar: ‘E o Sesi, Pinheiros’…?

Fiat Minas, tricampeã nacional sobre o Banespa (84, 85, 85). Reprodução Pelé do Vôlei Oficial

 

Ambas equipes que seguem o mesmo preceito de formação de atletas, como clubes de esporte, não apenas, equipes destinadas para essa ou aquela modalidade. Sesi e Pinheiros primam por excelência, mas trabalham sob gestões diferentes. O Pinheiros não tem mais uma equipe masculina de vôlei desde a saída da Sky. O Sesi, por várias vezes, foi colocada de lado sobre o seu futuro no vôlei feminino. Qual a diferença das equipes citadas para o Minas?

A cidade de Belo Horizonte e o povo mineiro sempre tiveram uma paixão para o esporte olímpico e isso sempre foi um diferencial. Os recordes no Mineirinho estão aí para comprovar, várias edições de mundial interclubes, conquistados pelo o Cruzeiro, torneios sul americanos, etc…só corroboram por esse status de excelência. Outro detalhe importante: o Minas é mantido pelos seus sócios e mantém uma estrutura de ‘encher os olhos’. A seleção inglesa teve a oportunidade de fazer sua preparação na estrutura do tradicional clube mineiro.

Assim caminha a humanidade, assim caminham o Minas Tênis Clube…