Promotor do GP Brasil de F1 acredita que ausência de pilotos brasileiros não será relevante

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito da foto: Rodrigo Nascimento/Torcedores.com

Questionado durante a coletiva realizada nesta quarta-feira no Autódromo de Interlagos sobre a importância para o GP do Brasil em ter um piloto brasileiro na F1, o promotor do evento, Tamas Rohonyi, afirmou que não é tão relevante para os fãs da categoria, e não deve afetar na audiência.

Foi realizado nesta quarta-feira no Autódromo de Interlagos, uma coletiva de imprensa na qual participou o atual prefeito da cidade de São Paulo, João Dória, acompanhado do Secretário Municipal de Serviços e Obras, Marcos Penido, o presidente da São Paulo Turismo, David Barioni, e o Promotor do evento, Tamas Rohonyi.

O promotor do GP Brasil de F1, Tamas Rohonyi, afirmou que não acredita que uma possível ausência de pilotos brasileiros na categoria, possa causar uma redução na audiência:

“Não faz muita diferença a presença de um piloto brasileiro, porque no fundo, o público da Fórmula 1 gosta da tecnologia, da velocidade e do barulho. E há vários anos o piloto mais popular neste país se chama Lewis Hamilton”, declarou o promotor da prova.

“É evidente que Ayrton Senna, Nelson Piquet e Emerson Fittipaldi fazem muita falta, mas em termos de frequência de transmissões e presença do público, é uma diferença muito pequena”, complementou Tamas Rohonyi.

A possibilidade da F1 não contar com um piloto brasileiro no grid existe desde a temporada passada, quando Felipe Massa havia anunciado a sua aposentadoria. Porém, Massa voltou atrás na decisão quando a Mercedes contratou Valtteri Bottas e com isso, ele assumiu o lugar do finlandês na Williams para este ano, e busca uma renovação para 2018.

LEIA MAIS:
F1: NEGOCIAÇÕES ENTRE MASSA E WILLIAMS CESSARAM APÓS TESTES DE KUBICA
DORIA DÁ VOLTA DE FERRARI E SINALIZA ÚLTIMO GP ANTES DA PRIVATIZAÇÃO EM INTERLAGOS