Vozes da marca

Quer evoluir no Fifa 18? Conheça o campeão brasileiro e suas dicas

Publicado às

Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo. Comecei no Terra Esportes, em 2008, para onde voltei em 2011 e fiquei até 2015. Passei também por FPF, Diário LANCE! e o jornal A Tribuna, de Santos, com colaborações para a Revista Placar.

Crédito: Arquivo pessoal de Artur Lima

O atual campeão brasileiro da franquia Fifa, que teve a sua última versão lançada no último dia 29 para PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox One, Xbox 360, Nintendo Switch e PC, ainda se surpreende com a nova vida de pro player, iniciada há pouco mais de um ano.

“Virei pro player por influência de amigos. Eles me pagaram para jogar a classificatória do Brasileiro [em Goiânia] e venci. Depois, meus pais me bancaram para ir jogar o Brasileiro mesmo, em Brasília. Só tinha disputado um campeonato online antes de tudo”, conta o goiano Artur de Moura Lima, 18 anos, ao Torcedores.com.

Lima largou o emprego como estagiário em logística reversa em uma empresa do ramo farmacêutico poucos meses depois pela nova profissão. Faturou cerca de R$ 12 mil em premiações e hoje tem uma espécie de patrocinador para montar uma equipe competitiva.

“Tenho um amigo, que virou um irmão, de Diadema, em São Paulo, que investe em mim e no meu time. Tem me levado a grandes resultados, terminei a última semana como 97º do mundo”, explica.

No atual time de Ultimate Team conta com uma série de “legends” como Maradona, Viera, Gullit, Blanc, Maldini e Ferdinand. O ataque ainda é composto por Messi e Cristiano Ronaldo.

Artur encorpa uma lista de gamers já conhecida puxada por nomes como Rafael Fortes, o Rafifa13, cibertleta do Paris Saint-Germain, além de figuras conhecidas como Lucas Gonçalves, o Lucasrep98, e Lucas Tabata, contratados pelo Goiás.

O jogador está classificado para a próxima grande competição do jogo, a E-Cup, que acontecerá em 2 de dezembro, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Sonha em ser um pro player ou evoluir no jogo? Veja algumas dicas:

Escolha bem a sua tática
Primeiramente, defina um padrão de jogo que mais lhe agrade. Você acredita ser um Pep Guardiola, fã do tiki-taka? “Se for valorizar a posse de bola, use a 4-1-2-1-2 fechada. Ela ajuda muito nas triangulações, mantém os meio-campistas mais próximos”, explica Artur Lima.

Outra alternativa sugerida pelo pro player é a 4-2-3-1. É mais defensiva, mas vai sugerir outra proposta de jogo, menos concentrada no meio de campo e utilizando mais as pontas.

Agora, se o seu estilo como professor é o de ataque total, com fortes emoções, pode optar pela 4-3-2-1. “Com ela você ataca sempre com seis jogadores. Deixa mais vulnerável defensivamente para os contra-ataques, precisa ter um meio de campo forte para suportar”, define.

Sem firulas, mas precisa saber driblar
Conhece aquele famoso drible bonito para trás? Ou aquela firula ineficiente? No Fifa, ganha muito os jogadores que apostam nos dribles mais eficientes.

“O ball roll é um drible simples, mas extremamente eficiente”, conta Artur. Ele pode ser executado deslocando botão analógico de drible para a direita ou para a esquerda.

Outro já conhecido entre os fifeiros, “manjado” por muitos, mas extremamente eficiente é o fake shot, executado ao apertar os botões de chute e passe simultaneamente. O drible faz com que o jogador aplique um corte no adversário.

Entre os pro players há, também, fake drag. Executado com o botão de finesse shot com o analógico de controle do jogador. A movimentação do analógico depende do posicionamento. Veja um tutorial.

Aprenda a ler o jogo
Analisar o adversário e fazer corretamente a leitura de jogo se torna necessário se quiser evoluir. “É necessário entender a hora de forçar e de defender. Eu mesmo queria impor o meu estilo de qualquer jeito”, conta o pro player.

Não é bem assim, no Fifa é preciso saber a hora de dosar a velocidade e, principalmente, evitar jogadas fadadas ao insucesso como lançar bolas contra um time retrancado taticamente.

Coloque o pé na forma
Você é daqueles que constrói ótimas jogadas, boas tabelas e grandes chances de gol, mas desperdiça chances em série? Melhore.

A principal finalização do Fifa 18 é a da entrada da área, com o chute cruzado rasteiro. Aperte duas vezes o botão de chute dessa forma e será fatal.

Fazer gols de fora da área ficou uma tarefa mais complexa. Evite grandes desperdícios, chutões infundados. Os belos gols de fora saem, sim, mas dos pés de jogadores com bom fundamento. Prefira os chutes cruzados.

Evite desmontar a linha defensiva
“Vou matar logo essa jogada”. A frase não combina bem e, geralmente, é seguida de um buraco aberto na defesa e uma boa chance para o adversário.

Evite sair para o combate direto com um zagueiro, enquanto houver meio-campistas para ajudar e deformar a linha defensiva. Esse é um erro comum e quase que fatal no jogo.

“Subir os zagueiros quando ainda se pode marcar com os volantes é um erro. Deixa o atacante à vontade, gera muitos erros”, afirma.

Está com dificuldades de entrar na área? Cruze!
Os gols de cabeça oriundos de cruzamentos viraram uma tendência no Fifa 18. Se na última versão os fifeiros preferiam cruzar rasteiro, agora os cruzamentos altos e sem sequer ir para a linha de fundo são mais usados.

“Você não precisa ir mais a linha de fundo. Cruzar alto, do bico da entrada da área com curva, é um bom caminho. Esse arco encontra o atacante. Se for alto, pode ser fatal”, explica Lima.

FIFA 18 é desenvolvido pela EA Vancouver e EA Romênia e estará disponível em todo o mundo no dia 29 de setembro de 2017 para os sistemas PlayStation 4, Xbox One, PC, Nintendo Switch, PlayStation 3 e Xbox 360. Clique aqui e garanta o seu!