Futebol

Renê Júnior diz ter sido chamado de ‘macaco’ por Tréllez e faz forte desabafo após Ba-Vi

Publicado às

Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Foi repórter colaborador e hoje é líder da comunidade de colaboradores juniores, plenos e seniores no site Torcedores.com.

Renê Júnior

Crédito: Crédito da foto: Divulgação/EC Bahia

O volante Renê Júnior, do Bahia, disse ter sofrido injúria racial do atacante Tréllez, do Vitória, durante o Ba-Vi deste domingo (22), na Fonte Nova, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Segundo o jogador do Tricolor de Aço, ele foi chamado de “macaco” pelo colombiano após uma confusão no final da partida em que o Esquadrão venceu por 2 a 1. Após o jogo, ele fez um forte desabafo, emocionado, mas confirmou que não fará queixa contra o atleta sul-americano.

“É inadmissível, num mudo de hoje, acontecer essas coisas. Sou maior que isso aí. Não é qualquer palavra que vai me colocar para baixo. Queria estar aqui para falar dos três pontos. Queria que eu, todos os meus filhos, fossem julgados pela personalidade. Não vou dar queixa. Sou maior que isso aí. A maior punição vem lá de cima. Ele próprio veio me pedir desculpas. Sou maior que isso”, declarou Renê Júnior na sala de coletivas do estádio, com os olhos marejados.

“Quero falar dos três pontos. Tenho muito orgulho da minha raça, de onde vim. Não é qualquer palavra que vai me colocar para baixo. Toda vez que visto a camisa do Bahia é por minha família. É difícil ser chamado de “macaco” dentro do seu país, no estado da Bahia. Aqui, a maioria da população é negra. No país dele também. Mas é cabeça boa, bola para frente. Ele sabe o que falou. Não tenho mágoa de ninguém. Há alguns anos aconteceu com o Aranha. Agora sei o que ele sentiu. Não tenho que me promover em cima disso não”, complementou o volante do Bahia.

Em seu Twitter oficial, o Tricolor de Aço demonstrou apoio ao atleta:

Tréllez saiu sem dar entrevistas à imprensa. O presidente em exercício do Rubro-Negro baiano, Agenor Gordilho, falou sobre a acusação e afirmou que não passou de mal entendido. “Não passa de um mal entendido. Vamos tentar contornar isso. Estamos preocupados agora com o jogo do Atlético-GO. Bola para frente. Tudo isso foi um mal entendido. Vamos contornar com uma boa conversa. Talvez ele tenha sido interpretado mal, tenho certeza que o jogador não quis dizer isso. Não tem nada disso. Vamos tentar esclarecer com bom senso.”

VEJA MAIS
ACUSADO DE RACISMO, TRÉLLEZ NEGA XINGAMENTO A RENÊ JÚNIOR, MAS SE DESCULPA COM JOGADOR
BAHIA VENCE O VITÓRIA NA FONTE NOVA E SE AFASTA DO Z-4