Futebol

Repórter é vítima de machismo por parte de torcedores do Inter em jogo na Série B

Publicado às

Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Inter

Foto: Inter

Crédito: Foto: Reprodução/Instagram

Cerca de quatro mil colorados estiveram presentes no estádio Heriberto Hülse, em Santa Catarina, neste sábado, para apoiar o Inter em mais uma jornada na Série B e protagonizar uma bonita festa ao lado do time. Essa parte foi cumprida e a equipe de Guto Ferreira, impulsionada pela vibração dos fãs, buscou a vitória sobre o Criciúma já no final do jogo. Mas a participação da torcida colorada acabou manchada por um pequeno grupo ter protagonizado insultos machistas.

A vítima, mais uma vez, foi a repórter Júlia Goulart, da Rádio Galera, que já havia sofrido com o preconceito em um jogo de futebol no início desse mês, quando trabalhava na vitória do São José sobre o próprio Inter na Copa Paulo Sant’Ana. Ao Torcedores.com, a repórter relembrou que, naquela ocasião, “cinco ou seis” torcedores do São José a provocaram, enquanto, dessa vez, “uns 30” colorados – mulheres e crianças incluídas – promoveram insultos de cunho machista.

À reportagem, Júlia conta que o “estresse” começou no intervalo enquanto ouvia a opinião de torcedores sobre o jogo direto da arquibancada. Mas o auge dos xingamentos desse pequeno grupo foi ao final da partida, quando ela desceu ao gramado para participar das coletivas de imprensa. Perplexa, ela conta que observou uma colorada, de aparentemente 50 anos, subir na grade e gritar: “Tu é uma p…, tu é uma v…”.

“Abatida” por conta desse novo episódio, a repórter diz que levará o caso até o Ministério Público para que alguma providência possa ser tomada. Ela revela ter vídeos que identificam os agressores e que inclusive eles só pararam de xingar quando notaram que estavam sendo filmados. Nesse instante, trocaram os insultos pelas vaias.

O jornalista Rodrigo Oliveira, que é um dos principais repórteres da equipe da Rádio Gaúcha, estava cobrindo o Inter nesta partida e postou um longo texto em seu perfil pessoal no Facebook testemunhando e lamentando o episódio. No relato, Rodrigo garante que apenas torcedores colorados estiveram envolvidos nas cenas de machismo.

“Foram muitos torcedores. Não foram meia dúzia. Foram muito mais. Ela e o colega dela filmaram. Dá para identificar vários deles. Todos da torcida Inter. A torcida do Criciúma não tinha nada a ver”, escreveu.

Pelo Instagram, Júlia também postou um longo desabafo e recebeu apoio dos seus seguidores. Ao Torcedores, ela comentou que trabalhará normalmente no jogo entre Grêmio e Palmeiras, neste domingo, na Arena, pelo Brasileirão, com a certeza de que “vai ser bom para esquecer isso”.

No que diz respeito ao apoio e à festa promovida na arquibancada, a torcida do Inter foi muito elogiada pelo técnico Guto Ferreira e pelo vice-presidente de futebol Roberto Melo nas coletivas de imprensa. Os próprios jogadores, liderados pelo capitão D’Alessandro, fizeram questão de saudar bem de perto os fãs no final do duelo. Com a vitória em Santa Catarina, o colorado manteve a liderança isolada da Série B com 61 pontos. O próximo rival é o Ceará, no sábado, no Beira-Rio.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Roth “defende” algoz colorado e cutuca: “Mazembe jogou 4 ou 5 mundiais, e o Grêmio?”

Carrasco dos brasileiros, técnico do Barcelona mira trabalhar no país: “Uma honra”