Vela

Scheidt abandona velejo olímpico brasileiro por motivos significantes

Publicado às

Colaborador do Torcedores

 

Velejador, que conquistou títulos importantes para o Brasil, não irá participar de competições em Tóquio 2020

Robert Scheidt, esportista pela modalidade de velejo, afirmou neste domingo (15), em entrevista para o Esporte Espetacular (Programa da Rede Globo), que deixou definitivamente de competir em jogos olímpicos. Durante os vinte cinco anos de profissão o atleta conquistou olimpicamente dois ouros, duas pratas e um bronze, tornando-se um dos brasileiros com mais medalhas e um dos mais respeitáveis dessa categoria mundialmente.

A respeito de sua escolha ele afirmou: “Esse momento chegou, chegou sem avisar muito, tive que tomar essa decisão. Foi a decisão correta para o momento, mas não me arrependo de nada, não, foi uma trajetória maravilhosa”.

Alguns dos motivos que o fizeram tomar essa decisão difícil, segundo ele, foram os desgastes físicos provocados pelo excesso de treinamentos, as pequenas lesões que vão surgindo e diminuindo sua capacidade de volume e desempenho, pois o atleta atinge agora a faixa dos 44 anos e já não se sente mais tão disposto e competitivo como se sentia antigamente, e o pouco tempo que ele estava tendo para passar com sua família, pois seus filhos sempre sentiam sua falta e queriam mais momentos livres ao lado do pai.

Comentando sobre a última competição na qual participou, na classe Laser, no Rio de Janeiro, ele declarou que não se sentiu satisfeito com o seu desfecho: “O quarto lugar deixa um gosto muito amargo na boca, o quarto lugar na olimpíada é um bom resultado, mas ninguém lembra, é aquele “quase medalha””.

Mesmo após a decisão da aposentadoria, o campeão ainda pretende velejar, pois diz que a vida sem a ”vela” não lhe faz sentido, porém agora só atuará em categorias não olímpicas e com sua experiência quer poder contribuir para a equipe olímpica e continuará torcendo pelo legado desse esporte.