Futebol

5 coisas que o Palmeiras precisa evitar para não repetir “cheirinho” do Fla de 2016

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Palmeiras

Crédito: Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

A sequência de três vitórias seguidas somadas aos tropeços do Corinthians dão ao Palmeiras uma sobrevida na luta pelo bicampeonato brasileiro. De desacreditado, o Verdão passa a ser o principal concorrente do rival na briga pela liderança com a parte final da competição chegando.

Enquanto o Palmeiras venceu Atlético-GO, Ponte Preta e Grêmio, o Corinthians apenas empatou com o Grêmio e foi derrotado por Bahia e Botafogo, mais recentemente. Sendo assim, a diferença que já chegou a ser de 14 pontos, hoje em dia está em 6 pontos. Tudo isso animou a torcida que já vê o Verdão como possível time que irá ‘roubar’ o título do Timão, líder absoluto em quase 100% do campeonato até aqui.

Para que o Palmeiras não fique apenas no ‘cheirinho’, termo utilizado pela torcida do Flamengo em 2016 quando os cariocas perseguiam o próprio alviverde na busca pelo título do Brasileirão, o Torcedores.com separou alguns dos perigos que a equipe de Alberto Valentim deve ficar de olho.

‘Empolgou’

Um dos maiores problemas em uma fase como essa é o perigo de entrar na empolgação da torcida palmeirense. O atual elenco provou em inúmeras oportunidades que não lida muito bem com o termo ‘favorito’, por isso talvez seja melhor se preocupar em vencer jogos.

A tática já funcionou anteriormente. Em 2016, o Palmeiras estava eliminado da Libertadores e desacreditado pela torcida, quando Cuca, que havia assumido o cargo há pouco tempo, prometeu o título do Campeonato Brasileiro. Na hora considerado improvável (dias antes o time foi derrotado pelo Água Santa por 4 a 1), a meta mexeu com jogadores e comissão técnica que acabaram fazendo grande campanha e chegaram ao objetivo.

Segue o líder

Seguir na tabela até pode, mas se preocupar com cada movimento do Timão pode ser prejudicial. As recentes campanhas provam que o Palmeiras não precisa ‘secar’ o rival. A diferença atual de seis pontos ainda é grande, porém o calendário não permite tropeços da equipe alviverde, já que em menos de 10 dias ambos se enfrentarão na Arena Corinthians.

Levando em conta a campanha dos dois nos últimos cinco jogos, o Palmeiras, por conta própria e sem depender do Corinthians, ultrapassa o rival antes do final da competição, basta fazer sua parte.

Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Problemas defensivos

Valentim também não terá vida fácil. Não é novidade que as laterais do Palmeiras são o ponto fraco da equipe em 2017. Com Egídio e Mayke, o treinador perde muito no poder defensivo devido à clara dificuldade de ambos na marcação.

O Palmeiras é uma equipe que ataca com muitos jogadores e para que a tática funcione, a reposição do time deve ser treinada e executada muito bem. Porém, se os laterais não fazem a recomposição da maneira certa, você estará oferecendo uma ‘avenida’ para o adversário contra-atacar e render a sua defesa exposta.

Esse é o maior desafio de Valentim. Mesmo diante do Grêmio, em uma partida pegada e que demorou para deslanchar, os gaúchos levavam perigo em viradas de bola e ataques rápidos pelas pontas. Tudo porque Mayke e Egídio não passam a segurança devida quando o assunto é o setor defensivo. Contra o Corinthians, isso pode ser o diferencial, devido ao estilo de jogo do time de Carille que já ganhou muitas partidas desta forma.

Novembro sem erros

Serão seis jogos em novembro: três contra times que lutam na parte de cima da tabela (Corinthians, Flamengo e Botafogo) e três contra times em briga direta contra o rebaixamento (Vitória, Sport e Avaí). Garantir o resultado diante dos mais fracos é obrigação se o time ainda sonha com o título.

Enquanto isso, o Verdão enfrenta o Flamengo e o Botafogo no seu estádio, devendo confirmar a vantagem de mandante. Resumindo, isso dá ao vice-líder do Brasileirão a oportunidade de ‘vacilar’ em apenas uma partida, justamente diante do Corinthians. Então para buscar o título, não há mais espaços para erros.

E o Borja?

Ficou claro que a primeira opção de Valentim na ausência de Willian é o colombiano Borja. O camisa 9 correspondeu e logo marcou um belo gol diante da Ponte Preta, porém o próprio elenco palmeirense precisa entender que a entrada dele significa uma mudança no estilo de jogo.

Willian se movimenta muito mais e em uma partida de poucas oportunidades, tende a se movimentar e buscar a bola no meio. Com Borja isso fica mais difícil. O colombiano não tem tanta mobilidade e precisa receber um passe mais refinado para criar chances de gol.

Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

LEIA MAIS

Moisés fala em ‘entrar de vez na briga’ e revela papel de Valentim na reação