Extra-campo

Atacante do Sport se apoia em retrospecto positivo para tentar superar o Atlético-GO

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação/Sport

No próximo domingo (12), às 17h, o Sport terá uma verdadeira decisão pela 34ª rodada da Série A. Fora de casa, a equipe visita o Atlético Goianiense, adversário direto na briga contra o rebaixamento.

Com 36 pontos, o time rubro-negro ocupa a 17ª posição da tabela, primeira do Z-4. Já o Dragão é o lanterna do campeonato, com 27 pontos. Apesar do favoritismo, o atacante Rogério, do Sport, acredita em um confronto difícil. “Respeitamos muito o adversário. Sabemos que será um jogo de vida ou morte para os dois times. Mas, queremos nos recuperar a partir desse jogo, para quem sabe sairmos do Z-4 e fecharmos bem a competição garantindo o Sport na Série A”, disse o jogador.

Dono da camisa 17 do Sport, Rogério pode dizer que vive uma das melhores temporadas da sua carreira. Pelo menos, já é a que mais atuou. Com 55 partidas pelo Leão da Ilha, ele bateu o seu recorde de 54 aparições com a camisa do Náutico, em 2011. Feliz, o atleta destaca a importância do feito. “Se jogar todas as partidas que restam no Brasileirão serão 60 jogos no ano. É um número alto e mostra que tive uma sequência positiva na equipe, mesmo a concorrência sendo grande com excelentes atacantes no elenco. É sempre importante para um atleta ter números positivos numa temporada, sem se lesionar muito”, explicou.

Além da boa fase com a camisa do rubro-negra, Rogério tem mais uma razão para estar motivado. Ao longo da sua carreira, o jogador enfrentou o Atlético Goianiense duas vezes e saiu vitorioso em ambas. ”Sempre venci os jogos que fiz contra o Atlético Goianiense e espero que domingo não seja diferente”, concluiu o atacante.

LEIA MAIS

VOLANTE DO FORTALEZA PROJETA POSSÍVEL DUELO COM O PSG E ACREDITA EM TRICOLOR ”OUSADO”

CONHEÇA O VOLANTE QUE ”DESBRAVOU” O NORDESTE PARA ”RENASCER” COM O FORTALEZA

ATACANTE GANHA CHUTEIRA DE ”CEIFADOR”, SE TORNA MAIOR ARTILHEIRO DO BRASIL E AVISA: ”PODE