Futebol Europeu

Únicos remanescentes de 2006, Buffon, Barzagli e De Rossi se despedem da seleção italiana

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Robbie Jay Barratt/AMA/Getty

Logo após o empate com a Suécia por 0 a 0 e a consequente não classificação para o Mundial de 2018, os italianos Gianluigi Buffon, Andrea Barzagli e Daniele De Rossi anunciaram, em entrevista, que não irão mais defender a Azzurra. Os atletas foram às lágrimas depois do apito final e não conseguiram esconder a frustração de um dos mais importantes objetivos coletivos não alcançados.

LEIA MAIS: Itália para na Suécia e está fora da Copa do Mundo; suecos ficam com a vaga

LEIA MAIS: Itália fica fora da Copa pela primeira vez desde 1958; saiba mais

LEIA MAIS: Itália x Suécia: os melhores momentos do jogo que tirou a Azzurra da Copa

LEIA MAIS: Itália fica fora da Copa do Mundo e internet não perdoa; veja memes

Gianluigi Buffon

Buffon tem 39 anos e há 20 vestia a camisa da Itália. A estreia do goleiro pela seleção aconteceu no dia 29 de outubro de 1997, no empate em 1 a 1 com a Rússia, válido pelas Eliminatórias europeias da Copa de 1998. Desde esse dia até hoje, o nome dele já era certo nas convocações da Azzurra. Tanto é que Buffon é o jogador que mais vezes atuou pela equipe (175, ficando a frente de Fabio Cannavaro, com 136 atuações, e Paolo Maldini, com 126 participações). Defendendo a camisa da Itália, conquistou a Euro sub-21, em 1996, e a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, quando o time empatou com a França em 1 a 1 e venceu nas penalidades por 5 a 3.

Ao final da partida, Buffon desabafou: “É difícil terminar assim. Temos orgulho, força. Nos levantaremos como sempre fizemos. Eu deixo um abraço para todos, especialmente para os que compartilharam esse tempo comigo. Não sinto muito por mim, mas por todo o futebol italiano. Infelizmente, nós falhamos hoje”.

Andrea Barzagli

O zagueiro, que também estava presente na conquista de 2006, em lágrimas, colocou a tarefa de reconstrução da seleção italiana para os jogadores mais jovens: “É a pior desilusão da minha vida futebolística. Deixar esse grupo é uma coisa difícil, não consigo achar as palavras. Nesse momento difícil, todos têm suas próprias emoções. É um desprazer enorme, agora os jovens terão em mãos a situação, e quem sabe farão melhor que nós. Se fecha um ciclo e abre-se um outro com os jovens que têm tanta vontade”.

Barzagli, de 36 anos, foi convocado pela primeira vez para a equipe principal em 2004. Desde então, participou de 73 jogos. Em se tratando de títulos, o atleta também conquistou a Euro sub-21, só que do ano de 2004, e a Copa de 2006.

Daniele De Rossi

Também arrasado, o meia De Rossi, 34 anos, é o quarto jogador que mais vezes representou a Itália em competições oficiais da seleção masculina: foram 117 partidas, atrás dos já citados Paolo Maldini e Fabio Cannavaro). Conquistou a Euro sub-21 de 2004 e o bronze das Olimpíadas de Atenas, no mesmo ano, além do Mundial de 2006 na Alemanha.

Chateado, afirmou: “É um momento negro para o nosso futebol, negríssimo para nós, que fizemos parte desse biênio. Haverá tempo para todos analisarem. Creio que a Federação deverá refletir para entender como dividir a culpa. A única coisa que salva é o espírito e a vontade que tivemos até o último segundo desta aventura. São 16, 17 anos que circulamos pelo CT, e pensar que é a última vez que tiro essa camisa, me faz mal. Depois da partida, houve uma atmosfera fúnebre com todos”.