Esportes Olímpicos

Esgrimista paralímpico usa o esporte para driblar a solidão e fazer amigos

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Moacir Ribeiro (Foto: Marcio Rodrigues/MPIX/CPB)

O esporte é uma ótima maneira de se fazer amigos e conhecer novas pessoas, o que pode ser um “remédio” contra a solidão. Esse é o caso de Moacir Ribeiro, esgrimista paralímpico.

“Moro sozinho e não tenho muito contato com a minha família. O esporte ajuda a me adaptar a minha nova vida e conhecer pessoas”, diz o atleta, que disputou o último Mundial de Esgrima em Cadeira de Rodas, em Roma, na Itália. A competição terminou no último domingo, 12 de novembro.

A “nova vida”, a que Moacir se refere, começou após o ex-motoboy ser atropelado e perder parte de sua perna esquerda em Curitiba/PR. O esporte também veio como parte da reabilitação. O acidente aconteceu em 2009.

Mas, não foi a esgrima a primeira modalidade praticada pelo atleta paralímpico. Ele começou pela natação.

“Me falaram que eu tinha que fazer algum esporte, então comecei pela natação, mas tive que parar por conta de uma lesão no braço”, explica ele que também usa uma prótese na perna amputada.

E como conheceu a esgrima e o que chamou sua atenção no esporte?

“Foi depois dessa lesão na natação, em que acabei machucando o ombro. Fui atraído pela beleza de movimentos da esgrima”, conta em contato com o Torcedores.

Após o Mundial, onde disputou a competição da espada no individual e por equipes, o objetivo são os Jogos Paralímpicos de Tóquio.

“É claro que o objetivo são os Jogos e vou chegar lá, se Deus quiser, com muito trabalho”, diz o esgrimista.

LEIA MAIS
PROJETO LEVA ESPORTE PARA COMBATER O ALCOOLISMO NA TRÍPLICE FRONTEIRA DO BRASIL NA AMAZÔNIA