Futebol

Felipe Melo cita Real Madrid para explicar fase do Palmeiras e garante: “Trabalhamos bastante”

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Palmeiras

Crédito: Foto: Reprodução/Facebook Torcedores.com

Felipe Melo voltou ao time titular do Palmeiras pela primeira vez desde a eliminação da equipe para o Cruzeiro, pela Copa do Brasil, em agosto. Ovacionado pela torcida presente no Allianz Parque, o volante falou após a vitória diante do Flamengo neste domingo (12), por 2 a 0, pela 34ª rodada do Brasileirão e falou sobre a falta de títulos do Verdão nesta temporada.

“Existem outros clubes, outros jogadores com os mesmos ideias e infelizmente aconteceu (de ficar sem títulos). Nem tudo é para se jogar fora. A gente está brigando pelo G4, brigando para continuar o mais alto possível na tabela. O campeonato não acabou, é muito difícil o título, mas estamos brigando pelo G4. Então há alguns anos ganhou a Copa do Brasil, ano passado o Brasileiro, este ano estamos nos consolidando no G4. Tudo serve como aprendizado, de repente colocamos uma responsabilidade que não deveríamos ter colocado. Você vê o Real Madrid com responsabilidade grande, de que “vai ganhar, vai ganhar” e não começou tão bem. Não falta comprometimento, trabalhamos bastante, e mostramos que voltamos ao caminho certo. Não podemos de campo e dormir sem dor, digamos assim. Temos que deixar tudo em campo e foi o que fizemos hoje”, disse Felipe Melo.

O volante também falou sobre a cobrança e os protestos da torcida palmeirense, exaltando o apoio durante os 90 minutos da partida contra o time carioca. “Primeiro, cobrança excessiva no Palmeiras não existe, o Palmeiras é um dos maiores clubes no Brasil e no mundo, a cobrança existe. Não tem jeito. Então temos de saber lidar com estas situações, com as críticas. Mas é bom frisar que o torcedor cobrou, mas fora do estádio, aqui dentro apoiou os 90 minutos”.

Melo ainda tranquilizou a torcida após pedir para sair aos 12 minutos do segundo tempo e falou sobre o tempo fora do time titular. “Só senti um pouco de dores, três meses sem jogar (como titular) é complicado”.

“Muito foi falado nestes três meses e dez dias sem jogar. Fiquei trabalhando quieto, correndo bastante, perdi ainda mais um pouco de peso, porque para voltar sabia que ia faltar ritmo, então precisaria estar alguns quilinhos abaixo para correr um pouquinho mais. Agradeço minha família, minha esposa, meu amor, a Roberta, não é fácil fazer uma análise. Eu cheguei no Palmeiras, tudo estava saindo da melhor maneira possível, na seleção do Campeonato Paulista, jogando bem e tudo desmorona. As pessoas falam que na última entrevista eu joguei para a torcida, mas quando você fica um tempo fora e volta, a torcida grita seu nome é algo que é a realização de todo jogador. Muito feliz de poder ter trabalhado e hoje estar colhendo frutos de todo o trabalho que tive, graças a Deus”, completou.

O Palmeiras volta a campo na quinta-feira (16), mais uma vez no Allianz Parque, para enfrentar o Sport, que luta contra o rebaixamento.