Automobilismo

Hartley é cauteloso sobre permanência na F1

Publicado às

Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.

Crédito: Foto: Getty Images

Nome quase certo na Toro Rosso para a temporada 2018 da Fórmula 1, Brendon Hartley é bastante cauteloso ao falar de suas chances de seguir no grid para o ano que vem. O neozelandês passou quatro temporadas na Porsche no Mundial de Endurance, e conquistou o bicampeonato mundial no último final de semana, o piloto comparou as duas categorias. Em coletiva realizada nesta quinta-feira (9) no Autódromo de Interlagos, o piloto falou das similaridades dos campeonatos.

“Eu não sei. O que eu sei é que, desde que eu passei a trabalhar com a Porsche nos últimos anos, fiz muito suavemente minha transição para a Fórmula 1, pois é muito parecido entre as pessoas envolvidas. Uma estrutura muito similar em termos de engenharia, pressão – pilotar para a Porsche em Le Mans, há uma grande pressão em seus ombros, então eu acho que aprendi a lidar com isso com todas essas coisas. E, claro, me ajudou muito correr em Austin”, disse Hartley.

“Claro, havia muitas outras coisas para aprender na Fórmula 1 e estou bem ciente de que ainda há muito a aprender, mas sim, creio que o bom para mim é que também estive envolvido no passado com outras equipes de Fórmula 1 e desenvolvimento e o projeto na Porsche, eu estava muito envolvido no desenvolvimento em todos os níveis, então pelo menos eu tenho alguma experiência desse ponto de vista, sim”, seguiu o neozelandês.

Hartley relatou ainda que, apesar de ter feito apenas duas corridas na Fórmula 1, sentiu bastante diferença ao retornar ao carro da Porsche no Mundial de Endurance. A proteção do cockpit e a posição do banco foram os itens que o vencedor das 24 Horas de Le Mans mais estranhou quando foi correr as 6 Horas de Xangai no último final de semana.

“Sim, isso foi na verdade surpreendentemente difícil voltar ao carro. Eu pensava que estava em casa – foi minha casa nos últimos quatro anos, mas dei algumas voltas para voltar a me sentir confortável”, disse Hartley. “A posição de banco é bastante diferente que a de um Fórmula 1, tendo o canopy acima de sua cabeça, uma perspectiva diferente. Mas sim, depois de cinco voltas, me senti em casa novamente”, seguiu o piloto, que garante ainda não se sentir um bicampeão do mundo.

“Em termos de racionalizar as coisas, eu acho que tentei não pensar demais e… sim, mesmo ganhando o campeonato, realmente isso não entrou em minha cabeça. Não tive tempo para pensar nisso. Provavelmente ajuda o fato de eu ter um final de semana de corrida atrás do outro”, explicou o piloto da Toro Rosso.

“Acho que é minha sexta corrida seguida. Até eu chegar em casa no final do ano depois de todas as corridas que eu vou poder refletir e entender completamente o que aconteceu comigo”, explicou Hartley, que analisou sua temporada. “Estou bem ciente que fazer minha estreia em GPs e vencer Le Mans e o WEC… Quero dizer, são todas coisas incríveis, mas no momento estou somente tentando dar um passo de cada vez para me manter focado”, completou.

Foto: Getty Images