De contrato renovado com o Vila Nova, Hemerson Maria faz balanço da temporada de 2017

Ano muito positivo. Assim o técnico Hemerson Maria definiu sua temporada. Em 2017 foram 48 jogos, somando 19 vitórias, 17 empates e 12 derrotas, aproveitamento de 51,39%.

Douglas Albino
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Divulgação/Vila Nova-GO

No Fortaleza, primeira equipe do ano, Hemerson participou de 10 jogos e foi o técnico com o melhor aproveitamento ao longo da temporada, 53,33%. Foram quatro vitórias, quatro empates e duas derrotas. ”Pude participar da formação do grupo que conquistou o acesso à Série B com o Fortaleza. Do time que estava em campo no jogo do acesso, oito atletas foram contratados quando eu ainda comandava a equipe”, disse.

”Foi um trabalho que começou lá em novembro do ano passado, jogadores como Marcelo Boeck, Ligger, Uchôa e Lúcio Flávio, eu mesmo liguei para tratar da vinda ao clube. Por tudo isso, foi muito gratificante para mim quando o Fortaleza conquistou o acesso, inclusive vários atletas, dirigentes e membros da comissão técnica me ligaram parabenizando por ter feito parte do processo”, revelou o catarinense, natural de Florianópolis.

Em seu segundo clube de 2017, o Vila Nova-GO, Hemerson Maria por pouco não conquistou o acesso à Série A. O aproveitamento com o time goiano foi de 50,88%, com 15 vitórias, 13 empates e 10 derrotas. ”O trabalho que fizemos no Vila Nova foi sensacional, mesmo não conseguindo o acesso. A ideia inicial era a permanência na Série B e, em conjunto com os jogadores, comissão técnica, diretoria e torcida, conseguimos um resultado fantástico. Resgatamos a autoestima do torcedor vilanovense e o respeito com o clube no Brasil”, explicou.

”Foram 21 rodadas no G-4 e, claro, fica uma pontinha de frustração. Poderíamos ter conseguido o acesso, mas fica também o aprendizado e o caminho a ser seguido. Se melhorarmos algumas questões estruturais e o próprio elenco, podemos fazer uma temporada ainda melhor. E para o torcedor, fica a esperança de que é possível sim voltar para a Série A. Muitos já tinham perdido a fé na equipe e, esse resgate da confiança, talvez tenha sido o nosso grande prêmio”, ressaltou o treinador de 45 anos, que encerrou a Série B na sétima posição, a melhor colocação do clube desde 2008”, comentou o técnico.

”De contrato renovado e garantido para a próxima temporada, o comandante do Tigrão já começa a planejar 2018. “Agora que acertamos a minha permanência no clube, a prioridade é trabalhar para manter o máximo possível de jogadores deste ano. Vamos também agregar alguns valores para fazer uma temporada ainda melhor”, concluiu.