Nabil quer nova relação com Globo e Santos no Pacaembu, Paraná e interior de SP

Divulgação

Nabil Khaznadar tentará pela segunda vez ser presidente do Santos. Na eleição anterior, em 2014, ficou em último, com 735 votos. Para vencer o pleito no dia 9 de dezembro, o candidato aposta em uma nova relação com a Globo e no Peixe jogando no Pacaembu e no norte do Paraná.

“Vamos procurar estabelecer uma nova relação com a Rede Globo. Gostaríamos de entender melhor porque o clube deixou de ter seus jogos exibidos na grade da emissora. A exposição na TV aberta gera visibilidade e valorização da marca. O Santos precisa ser respeitado”, disse em entrevista exclusiva ao Torcedores.com

Nabil descartou completamente a ideia de erguer um novo estádio para o Peixe. Ele promete assumir a gestão do estádio do Pacaembu, e fazer o Santos jogar em outras praças. “Já temos o aval do secretário municipal de esportes Jorge Damião para locá-lo à partir da nossa vitória na eleição de dezembro. Nossa ideia é aluga-lo por três anos e mandar mais de 50% dos jogos em São Paulo, cidade em que está concentrada a maior parte da nossa torcida. Incluindo aí clássicos e jogos decisivos. Nossa proposta é assumir apenas o estádio de futebol”, explicou o candidato.

“Não vamos esquecer dos nossos torcedores do interior do estado e do norte do Paraná, onde temos um grande número de santistas. No Campeonato Paulista pretendemos mandar jogos nessas regiões, para atender aqueles que amam o Santos, mas que nem sempre podem estar perto dele”, complementou.

A eleição para definir o presidente do Santos no próximo triênio (2018, 2019 e 2020) acontecerá no dia 9 de dezembro. Além de Nabil Khaznadar, disputam o pleito Modesto Roma, José Carlos Peres e Andrés Rueda.

LEIA MAIS:
CONFIRA AS DATAS DAS ENTREVISTAS COM OS OUTROS CANDIDATOS
MODESTO PROMETE MONTAR ‘ESQUADRÃO’ PARA SANTOS SER TETRA DA LIBERTADORES

Confira a entrevista na íntegra com Nabil Khaznadar

Pergunta inicial: Por que você é o mais preparado para comandar o Santos?
Nabil Khaznadar: Três motivos me dão a certeza que sou o mais preparado entre todos os candidatos que concorrem à presidência do Santos FC. Sou economista formado pela PUC e empresário com mais de 40 anos de experiência. Trouxe para o Brasil grifes badaladas como Hugo Boss, Adidas Original, Ralph Lauren e Original Penguin. Essa bagagem me credencia a enfrentar os enormes desafios que terei à frente da gestão do Santos FC, hoje um clube endividado, mal administrado e que se apequenou nos últimos anos. Só alguém com essa expertise pode tirar o clube dessa situação. Para enfrentar esse desafio terei ao meu lado um time de notáveis que me auxiliará na administração. Entre eles estão o empresário Walter Schalka, um dos nomes para o Comitê de Gestão; o especialista em marketing Amir Somoggi; o premiado publicitário Celso Loducca e o ex-secretário de esportes e vereador em São Paulo, Celso Jatene. Conto com o talento e competência de cada um deles para devolver ao clube a grandeza e a credibilidade perdidas. Estou seguro que tenho também as melhores propostas e ideias para revolucionar a administração do Santos. Entre elas o aluguel do estádio do Pacaembu pelos próximos três anos; a remodelação da Vila Belmiro; a preparação para que o clube receba aporte de capital de grandes investidores; a internacionalização da marca Santos FC; a construção de um novo CT para os profissionais e a migração das categorias de base para o CT Pelé, entre outras. Tenho certeza que com elas irei tirar o Santos do atraso e da inércia que o paralisaram nos últimos anos.

Tema 1: Atual elenco
Torcedores.com: Como você vê o atual grupo de jogadores do Santos? Precisa de muitas mudanças? Que mudanças pretende fazer?
Nabil Khaznadar:
Hoje temos mais pontos no Campeonato Brasileiro do que um elenco que justifique a nossa campanha. Os titulares até formam um bom time. Mas quando olhamos para o banco de reservas a situação complica. Dos oito jogadores contratados para temporada apenas um, Bruno Henrique, justificou o investimento. Os outros ou ainda precisam de mais observação, caso do Matheus Jesus, ou foram um fracasso completo, como o Leandro Donizete. Ele custa R$ 300 mil mensais e nem no banco de reservas fica. Outro caso para ser citado é o do Cléber Reis. Ele nos custou R$ 7 milhões e praticamente não jogou. Agora está emprestado ao Coritiba, com metade dos salário pago pelo Santos. Há coisas que beiram o escárnio, como a contratação do Fabián Noguera, que foi indicado por um taxista e um garçom de Buenos Aires. Sabemos também que outros jogadores não ficarão no fim do ano, caso do Lucas Lima. Então, com certeza, teremos um elenco bem modificado para 2018. Vamos reformulá-lo. E nesse processo mais uma vez vamos olhar para a base, a Joia da nossa coroa, com muito carinho. Temos uma molecada boa do Sub-17 para subir. Terão todo nosso apoio e respaldo para fazer o que mais sabem: jogar com alegria e irreverência.

Tema 2: Técnico
Torcedores.com: Qual é o perfil de técnico que você gostaria de ter no Santos? O que o torcedor pode esperar?
Nabil Khaznadar:
Vamos buscar um treinador que entenda o nosso DNA ofensivo e valorize o nosso estilo alegre e irreverente de jogar. Ainda não é hora de pensar em nomes. Mas tenho certeza que traremos alguém que devolverá à torcida a alegria de ver um jogo do Santos, algo que se perdeu esse ano.

Tema 3: Mercado da bola
Torcedores.com: O torcedor pode esperar por que tipo de reforços? Medalhões? Jogadores identificados com o clube? Peças para compor o elenco?
Nabil Khaznadar: Antes de falar em reforços e montagem do elenco vamos precisar entender qual é a real situação financeira do clube. Hoje temos uma dívida que beira os R$ 500 milhões. Fico muito preocupado quando ouço a atual diretoria dizer que prevê gastar quase R$ 200 milhões com o futebol em 2018, um aumento de cerca de 60% em relação ao valor investido esse ano. Precisamos parar de brincar com o clube e iludir o nosso torcedor. Vamos investir o que for possível investir, sempre com inteligência, responsabilidade e priorizando o nosso maior ativo: a base.

Tema 4: Estádio
Torcedores.com: Você é favorável a construção de um novo estádio? Maior aproveitamento do Pacaembu e de outros estádios já existentes? Ou prefere reforma da Vila?
Nabil Khaznadar: A construção de um novo estádio, seja em Santos ou onde for, está completamente descartada. É só você olhar para o que ocorre com a maioria das arenas construídas ou reformadas nos últimos anos. Todos têm problemas de gestão, dívidas ou operação deficitária. Por isso nossa ideia é assumir o Pacaembu. Já temos o aval do secretário municipal de esportes Jorge Damião para locá-lo à partir da nossa vitória na eleição de dezembro. Nossa ideia é aluga-lo por três anos e mandar mais de 50% dos jogos em São Paulo, cidade em que está concentrada a maior parte da nossa torcida. Incluindo aí clássicos e jogos decisivos. Nossa proposta é assumir apenas o estádio de futebol. O custo do aluguel será pago com o aumento da nossa arrecadação de bilheteria, com as receitas dos novos bares, restaurantes e lojas que vamos instalar e também com a locação do estádio para os rivais que precisem usar o estádio quando os deles não estiverem disponíveis. Paralelamente a isso temos um projeto de remodelação da Vila Belmiro, que continuará sendo nossa eterna casa. A proposta é transferir parte do setor administrativo do clube para o CT Rei Pelé. Os departamentos de marketing e comercial serão deslocados para a Sub-Sede de São Paulo, onde estão as grandes empresas e o mercado publicitário. Com isso pretendemos utilizar as áreas disponíveis no estádio para a instalação de novos bares, restaurantes, lounges, camarotes, além da realização de melhorias na circulação e acessibilidade de público. Pretendemos também acabar com parte daqueles camarotes térreos, para devolver ao estádio sua temida aura de alçapão para os visitantes. Por último não vamos esquecer dos nossos torcedores do interior do estado e do norte do Paraná, onde temos um grande número de santistas. No Campeonato Paulista pretendemos mandar jogos nessas regiões, para atender aqueles que amam o Santos, mas que nem sempre podem estar perto dele.

Tema 5: Finanças do clube
Torcedores.com: O que pretende fazer sobre este tema? Reduzir despesas? Aumentar a arrecadação? Espera encontrar dinheiro para investir em reforços?

Nabil Khaznadar: Para um clube que deve cerca de R$ 500 milhões não há outra alternativa senão promover um choque radical de gestão. Para isso vamos tomar várias medidas para diminuir sensivelmente o passivo durante meus três anos de mandato. Entre elas a análise e reestruturação do atual quadro de funcionários, hoje composto por quase 700 empregados, muitos deles com salários acima da média de mercado; enxugamento da folha salarial que beira os R$ 8 milhões/mês; revisão dos contratos com os atuais fornecedores; desenvolver um plano de renegociação de dívidas de curto prazo dando prioridade para os débitos bancários; incremento das receitas de marketing, patrocínio e licenciamento; aumento da arrecadação de bilheteria com a realização de mais jogos no Pacaembu e buscar uma renegociação dos valores de contratos de direitos de transmissão, especialmente na TV aberta. O Santos não pode receber menos da metade do que Flamengo e Corinthians recebem por exemplo.

Tema 6: Sócio-torcedor
Torcedores.com: Qual a sua opinião sobre o atual programa de Sócio Rei? Pretende fazer melhorias?
Nabil Khaznadar: Este é outro ponto sensível que precisa tratado com seriedade e profissionalismo. Em 2012 nós estávamos em segundo lugar no ranking dos programas de sócio-torcedores no Brasil. Hoje estamos em 13º, atrás de clubes que, com todo o respeito, tem muito menos história, tradição e torcida que o Santos. Não podemos ter apenas 23 mil associados. E para piorar mais da metade deles está inadimplente. Entre as ações para mudar esse cenário estão a realização de mais jogos em São Paulo, região onde está a maior parte da nossa torcida; implantação de um programa de milhagem que garanta vantagens para aqueles que vão mais ao estádio; a criação de um sistema de premiação que valorize o associado de fora de Santos e São Paulo; oferecer benefícios e descontos para inadimplentes acertarem seus débitos; criar a categoria Torcedor-Rei, para aqueles santistas com menor poder aquisitivo; aumentar o número de embaixadas do Santos espalhadas pelo País e torná-las verdadeiras unidades de captação de sócios; criar equipes para abordar e fidelizar novos associados em dias de jogos entre outras ações. Com isso em três anos o Santos irá triplicar seu número atual de associados.

Tema 7: Fornecimento de uniformes
Torcedores.com: O que espera da parceria com a Umbro? Pretende manter o acordo durante toda a gestão?
Nabil Khaznadar: Qualquer novo acordo não pode ser pior do que esse feito pela atual gestão. Aquilo foi uma verdadeira catástrofe para o clube. O Santos faturou pouco mais de R$ 3 milhões com esse plano de produção, fabricação e distribuição própria de material esportivo. Um valor ínfimo se comparado com o que recebem nossos maiores rivais. Sem contar que foi vendida uma ilusão para o torcedor. Sou empresário do ramo têxtil. Sei que era impossível o clube faturar o valor de cada peça ou produto anunciado na divulgação do projeto. E, se confirmados, os valores do acordo com a Umbro também são bem inferiores aos que um clube com o tamanho, exposição e torcida do Santos deve receber. Se, de fato, forem só esses R$ 7 milhões por ano vamos sentar com eles para rediscutir os termos.

Tema 8: Estratégias de marketing
Torcedores.com: Quais são os seus planos para aumentar a exposição do Santos e conseguir mais parceiros para o clube no mercado?
Nabil Khaznadar: Além de fazer mais jogos no principal mercado consumidor do País, vamos trazer o marketing e o comercial para São Paulo. Aqui estão as agências de publicidade e as maiores empresas do País. Queremos aproximar o clube de grandes parceiros à altura da nossa grandeza e tradição. Além disso vamos profissionalizar os departamentos, contratando profissionais qualificados e experientes para trabalhar nossa marca com estratégia, planejamento, inovação e ousadia. Vamos também realizar uma grande pesquisa para conhecer melhor quem são nossos oito milhões de torcedores. Na nossa gestão serão tratados como clientes. Com os dados na mão vamos desenvolver estratégias para atender suas demandas com inteligência e priorizando aquele que consideramos o nosso mais valioso ativo: a paixão do santista.

Tema 9: Estrutura do futebol
Torcedores.com: Quem comandará o futebol no clube? Qual será a estrutura da área? O que o torcedor pode esperar?
Nabil Khaznadar: Não quero falar em nomes. Mas vou falar em perfil. Queremos um profissional moderno, ativo e antenado com as melhores práticas de gestão esportiva dos principais mercados de futebol do mundo. Chega de improviso e falta de planejamento e visão com aquilo que é a razão da nossa existência. O futebol do Santos passará por uma grande transformação. E entrará em um novo patamar de excelência e qualidade.

Tema 10: Cotas de TV
Torcedores.com: O que esperar da parceria com o Esporte Interativo? Acha que 2018 ainda será difícil por ser com a Globo?
Nabil Khaznadar: Esperamos que no Esporte Interativo o Santos recupere a exposição perdida nos últimos anos. Infelizmente o santista que não pode pagar um pay-per-view foi quase que privado de ver seu time na televisão, seja na TV aberta ou na fechada. Por outro lado, vamos procurar estabelecer uma nova relação com a Rede Globo. Gostaríamos de entender melhor porque o clube deixou de ter seus jogos exibidos na grade da emissora. A exposição na TV aberta gera visibilidade e valorização da marca. O Santos precisa ser respeitado. Mas também não podemos fechar as portas para parceiros que, indiretamente, podem incrementar nossas receitas e aumentar nosso faturamento.

Tema 11: Pelé/ídolos eternos
Torcedores.com: Um dos maiores patrimônios do Santos é a quantidade de ídolos que o clube possui. Qual seu plano para o relacionamento com eles. Pretende solidificar algum tipo de parceria com o Pelé?
Nabil Khaznadar: Os ídolos do passado são os maiores patrimônios imateriais do Santos Futebol Clube. Na nossa gestão serão ainda mais valorizados. Nossa ideia é que se tornem embaixadores da nossa marca, representando o Santos em jogos, feiras, congressos e eventos pelo Brasil e pelo mundo afora. Também continuaremos a aproveitar sua capacidade e experiência no dia a dia do próprio clube, especialmente nas categorias de base. Pelé, claro, terá um tratamento especial. Eu quero que em cada jogo do Santos sua presença seja anunciada no alto-falante dos estádios. Hoje sua imagem está vinculada a uma empresa americana. Mas vamos procurá-los para realizar parcerias e projetos de interesse comum. Só o Santos tem um Rei. E aqui ele nunca perderá sua Majestade.

Tema 12: Neymar
Torcedores.com: O maior ídolo recente da história do Santos está em rusga com o clube. Pretende fazer algo para retomar este relacionamento?
Nabil Khaznadar: Neymar é nosso maior ídolo desde Pelé. Minha intenção é reaproxima-lo do clube. Mas antes precisamos analisar os processos que o Santos moveu contra ele e vice e versa. Gostaria de tê-lo ao nosso lado. Mas os interesses do clube vêm sempre em primeiro lugar. É bom lembrar que sobrevivemos sem Pelé.



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com