Esportes Olímpicos

Opinião: 5 fatores que colocaram Funvic Taubaté em pé de igualdade com o Sada Cruzeiro

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Em uma competição tão equilibrada como a Superliga, os clubes têm feito grandes esforços para elevar suas equipes. O surgimento de Corinthians e a equipe carioca do Sesc ajudam ainda mais a nivelar o torneio mais disputado do planeta, especialmente, o multi campeão Cruzeiro e a equipe que a cada dia disputa cabeça a cabeça com o clube mineiro, ou seja, o time do interior paulista, o Funvic Taubaté. O Sada Cruzeiro que há algum tempo se posiciona como a equipe a ser batida no planeta, com o crescimento de outrora das citadas e a perda de jogadores pontuais em seu elenco, começa a ver no seu retrovisor uma ameaça bastante contundente. Confiram quais são os elementos que podem fazer a equipe mineira ruir, principalmente, com o concorrente direto, o clube do Vale do Paraíba.

1ºContratações: o Taubaté, além de manter a espinha dorsal para a disputa da Superliga e as demais competições, se reforçou ainda mais, trazendo o técnico Daniel Castellani, seguindo a fórmula da vitória da equipe celeste. Além do argentino, chegaram atletas de poderio e capacidade de decisão, dentre eles: o sérvio Marko Ivovic, o central argentino Solé, o levantador Paulo Renan e o líbero, o jovem Thalles, o experiente Dante, fazendo a linha de passe.

Do lado mineiro, o ‘papa títulos’, dessa vez, não resolveu fazer grandes investimentos. É fato, que mantém a força da temporada anterior. Entretanto, a cada temporada tem perdido atletas importantes, como o caso do levantador William Arjona que acertou com o Sesi São Paulo. Vieram para o Sada, Alemão que havia defendido o Canoas, dentre algumas e a aposta de Marcelo Mendez, a contratação do argentino Uriarte para o posto de levantador, com a missão árdua de substituir o ‘mago’. A equipe mineira continua extremamente forte. Entretanto, conseguirá manter a mesma força, através do alto investimento feito pela equipe do interior paulista?

Perdas: Apesar do Cruzeiro não perder tantos atletas, um jogador era fundamental para o esquema do comandante cruzeirense, o levantador William. O entrosamento com Leal, Isac, Evandro, Simon, era tido como perfeito, diferencial. Seguindo a filosofia: Marcelo Mendez trouxe um compatriota, Nico Uriarte, para uma posição de suma importância. Se o argentino vai dar certo, somente o tempo poderá dizer…

Enfraquecer o rival: vimos a cada temporada milhares tentativas de desestabilizar os cruzeirenses. Depois da perda do levantador William que foi para o Sesi. O Taubaté foi o clube que mais tentou tirar atletas do clube mineiro, nomes, como: Wallace, o central Éder, e até na tentativa de tirar um dos principais jogadores, relevantes no esquema tático e extremamente importante no passe, o ponteiro Filipe Ferraz.

Banco de reservas: sabendo da formula que levou o Cruzeiro a conquista de tantos títulos, o time do gestor Ricardo Navajas, logo promoveu o argentino Daniel Castellani e como auxiliar, outro conhecido do público mineiro, Ricardo Picinin que comandou as equipes do Camponesa Minas e Praia Clube.

Alto investimento: os taubateanos foram analisar o que há de melhor no mercado, o time não poupou, foi ao extremo para manter uma equipe que possa brigar diretamente com o Cruzeiro. Solé, Ivovic, chegam para um grupo que já contam com o ponteiro Lucarelli, o oposto Wallace, o levantador Rapha, o novato Thalles, o central Otávio, entre vários outros.

 

 

 

.