Futebol

Copa Paulista: Portuguesa é eliminada da competição e fica sem divisão para 2018

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Arquivo.

Na noite deste sábado (11), Ferroviária e Portuguesa voltaram a se enfrentar pela semifinal da Copa Paulista. A Lusa precisava de mais de 3 gols para avançar a final, mas só conseguiu um.

Pouco mais de 4.000 torcedores presenciaram a partida entre Ferroviária x Portuguesa, segundo jogo da semifinal da Copa Paulista. No primeiro jogo, na semana passada, deu Ferroviária por 2×0, na casa da Lusa, e a decisão ficou para este sábado, no estádio da Fonte Luminosa em Araraquara. A equipe rubro-verde precisava de 2 gols para levar a partida para os pênaltis, ou 3 gols para avançar no tempo normal, mas a Lusa só conseguiu fazer um gol e amargou mais uma eliminação no ano.

LEIA MAIS:
Boletim da Semana: Portuguesa se prepara para a partida decisiva diante da Ferroviária-SP; confira as novidades
Copa Paulista: Portuguesa joga mal e perde dentro de casa para a Ferroviária-SP
Portuguesa tem ampla vantagem nos confrontos diante da Ferroviária-SP

O JOGO:

PRIMEIRO TEMPO:

A Ferroviária dona da casa e jogando com a vantagem debaixo do braço, fez um jogo de segurança no primeiro tempo. Tocando a bola com tranquilidade no setor defensivo sem muita pressa, chamando a Portuguesa para o seu campo. Ainda sim, a equipe interiorana criou boas chances na primeira etapa, fazendo com que o goleiro da Portuguesa, João Lopes, fosse o personagem da partida.

A Portuguesa foi mal no primeiro tempo, não conseguiu imprimir ritmo no jogo e criar ocasiões de gol. O time lusitano era muito apático e lento, seu setor ofensivo não se apresentava para dar opção de passe, e a parte criativa do time ficou muito abaixo do esperado. O técnico PC Gusmão fez modificações na equipe em relação ao primeiro jogo diante da Ferroviária, promovendo as entradas de Pereira e Dedé, nos lugares de Fernandinho e Vinícius Santos, mas a equipe não conseguiu dar o resultado esperado.

O jogo começou morno com a Ferroviária controlando a posse da bola em seu setor defensivo, o primeiro chute a gol da partida, foi aos 21 minutos, em chute cruzado do meia Elvis, da Ferroviária, que passou rente ao poste direito do goleiro João Lopes, da Lusa. A Ferroviária apresentou uma equipe bem distribuída no setor ofensivo, com uma boa amplitude e movimentação por parte dos jogadores.

Aos 26 minutos, o atacante Léo Castro desperdiçou mais uma chance para a Ferrinha. A Lusa só conseguiu sua primeira chegada aos 33 minutos da primeira etapa, com um chute de Romariho desviado na marcação da Ferroviária. Dois minutos depois, a Ferroviária teve mais uma grande chance, o lateral-esquerdo Daniel Vançan cruzou rasteiro para Hygor que estava na marca da cal, sozinho, mas pegou mal na bola, e para sorte da Portuguesa ela subiu.

Três minutos depois, o próprio Hygor que desperdiçou aquela chance, acabou desperdiçando outra oportunidade para a equipe da casa. O camisa 7 afeno recebeu bom passe no costado da zaga da Lusa, o jogador bateu na saída do goleiro João Lopes, mas o chute saiu fraco e torto, e nem chegou a sair pela linha de fundo.

Praticamente dez minutos depois de seu primeiro ataque mais perigoso na partida, a Portuguesa teve sua melhor chance no primeiro tempo. Em contra-ataque rápido puxado por Maicon Assis, o jogador soltou a bola para Romarinho no lado esquerdo do campo, o atacante invadiu a área e buscou o cruzamento para quem vinha chegando, mas a jogada terminou com o corte da defesa grená.

SEGUNDO TEMPO:

Na etapa final, o técnico Paulo Cézar Gusmão mexeu na equipe, e promoveu as entradas de Marcelinho Paraíba e Franklin, nos lugares de Dedé e Altemar, respectivamente. O time até melhorou em relação ao primeiro tempo, brigou pelo gol e deu trabalho para a defesa afena.

Mesmo assim, quem tomou as iniciativas no início do segundo tempo foi a Ferroviária. Logo com 1 minuto, a equipe da casa já teve uma boa chance, e dois minutos depois Marco Damasceno arriscou um bom chute de fora da área, exigindo grande defesa do arqueiro rubro-verde. A Lusa só conseguiu ter sua primeira chance no segundo tempo, aos 5 minutos, após bom chute de Pereira que tirou tinta do travessão do goleiro Tadeu, da Ferrinha.

A Lusa apertou, tentou, mas esbarrava na defesa da equipe do interior. O time da AFE, no segundo tempo, procurou se defender mais e apostar nos contra-ataques, e aos 14 minutos, o zagueiro Marcão teve que parar uma jogada promissora da equipe da casa, e recebeu cartão amarelo pela falta na entrada da área. Sorte da Lusa que Marco Damasceno não aproveitou a oportunidade. Aos 17 minutos da Ferroviária teve outra boa oportunidade em um belo chute do atacante Hygor, que foi defendido esplendorosamente por João Lopes.

A partir dos 20 minutos do segundo período, o treinador lusitano mandou todo o seu time para o campo de ataque, buscando um gol imediatamente para botar fogo na partida. E a Lusa teve sua melhor chance na partida com Maicon Assis, que recebeu sozinho na cara do gol, após tapa de Marcelinho Paraíba, mas o meia-atacante da Lusa bateu em cima de Tadeu, e perdeu a melhor oportunidade da Portuguesa na partida.

O time da casa parou de jogar e somente se defendia, aos 28 minutos, Maicon teve outra chance, mas chutou torto. E o gol da Lusa saiu dois minutos depois, após cochilo do zagueiro Luan, da Ferroviária, o atacante Guilherme Queiróz roubou a bola do defensor, avançou e bateu na saída do goleiro Tadeu, fazendo 1×0 Lusa, em Araraquara.

Ainda faltava pelo menos um gol para levar a partida para os pênaltis, mas a Lusa só conseguiu mais uma chance de gol, no final da partida, quando Marcão se lançou ao ataque e chutou, a bola quase traiu o goleiro Tadeu, em um desvio, e passou próximo do gol. Nos acréscimos a Ferroviária teve duas boas chances em contra-ataques rápidos, porém foram desperdiçados pela equipe afena, e a partida terminou mesmo no 1×0 para a Portuguesa.

Mesmo com a vitória a Lusa não conseguiu avançar para a final, e consequentemente brigar por uma vaga de volta a Série D do Campeonato Brasileiro. A Portuguesa jogou fora sua última chance de permanecer em uma divisão do Campeonato Brasileiro, mas não conseguiu, e ano que vem, pela primeira vez em sua gloriosa história de 97 anos, ficará sem divisão para a próxima temporada.

FICHA TÉCNICA:

ESCALAÇÃO DA FERROVIÁRIA:
Tadeu; Alisson, Élton, Luan e Daniel Vançan; Willian Favoni, Ikaro (Danilo Sacramento) e Élvis (Renato Kayser); Marco Damasceno, Hygor e Léo Castro.
Técnico: PC de Oliveira.
Esquema Tático: 4-3-3.

ESCALAÇÃO DA PORTUGUESA:
João Lopes; Paulo Fernando, Marcão, Rodolfo Mol e Altemar (Franklin); Jonatas Paulista, Dedé (Marcelinho Paraíba); Maicon Assis, Pereira e Romarinho (Luizinho); Guilherme Queiróz.
Técnico: PC Gusmão.
Esquema Tático: 4-2-3-1.

CARTÕES:
Marcão, Altemar e Rodolfo Mol – (Portuguesa) – Amarelo;
Alisson – (Ferroviária) – Amarelo.

FALTAS COMETIDAS:
Ferroviária 10 x 23 Portuguesa.

A Ferroviária jogará sua segunda final consecutiva na Copa Paulista, no ano passado enfrentou o XV de Piracicaba, e acabou ficando com o vice-campeonato. Agora nesta edição a equipe de Araraquara enfrentará o Internacional-SP, que bateu o XV de Piracicaba, em Limeira, nas cobranças de pênalti.