Futebol

Sem Diogo Barbosa, Egídio vira opção para o Cruzeiro em 2018

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras

O Cruzeiro deve confirmar a venda do lateral-esquerdo Diogo Barbosa para o Palmeiras nos próximos dias. Segundo o site Superesportes, Wagner Pires de Sá, presidente eleito do clube mineiro, confirmou que o antecessor Gilvan de Pinho Tavares fechou o negócio verbalmente nesta terça-feira (14). E com a saída de um dos titulares absolutos do técnico Mano Menezes na temporada, a Raposa já busca substitutos.

De acordo com informações do UOL Esporte, o Cruzeiro estuda dois nomes para repor a saída de Diogo Barbosa: Egídio, que está no Palmeiras, e Thiago Carleto, que atualmente defende o Coritiba.

Independente de quem escolher para 2018, a equipe mineira não deve ter muitos problemas para contratar um, ou até mesmo os dois, nomes. Tanto Egídio como Carleto tem contratos até dezembro deste ano e, inclusive, já podem assinar um pré-contrato com qualquer equipe.

Egídio, que já vestiu a camisa do Cruzeiro e foi bicampeão brasileiro, em 2013 e 2014, não tem clima para seguir no Palmeiras por causa das seguidas falhas e da pressão da torcida por sua saída. Carleto é titular absoluto do Coxa, que ainda segue na luta contra o rebaixamento, mas ter a chance de disputar a Libertadores pode pesar na hora de definir seu futuro

Itair Machado, vice de futebol da futura gestão, despistou qualquer especulação por enquanto. “No momento não falamos sobre isso (contratações de Egídio e Thiago Carleto). Depende do Mano (Menezes)”, disse em entrevista ao UOL Esporte.

Sobre a venda de Diogo Barbosa:

A negociação do Cruzeiro com o Palmeiras por Diogo Barbosa gira em torno de 4,5 milhões de euros (R$ 17,5 milhões). A Raposa tem direito a apenas 25% desse valor, enquanto os outros 75% pertencem ao BMG. O lateral possui contrato com o time mineiro até dezembro de 2018.

Gilvan de Pinho Tavares decidiu negociar o lateral para conseguir dinheiro para efetuar o pagamento dos salários atrasados. Itair Machado explicou a situação.

”Eu e o presidente eleito, o Wagner, tivemos uma reunião com o Gilvan nesta terça-feira para tratar desse assunto. Falei que ia conseguir uma semana a mais de prazo, só que não ia entrar nenhum recurso para o Cruzeiro até lá. Só que o Gilvan precisa dos recursos imediatamente para pagar a folha, e ele está propenso a fechar o negócio por isso. A gente respeita a opinião do Gilvan, pois ele é o presidente até 31 de dezembro, mas informei a ele que estávamos encerrando a viabilização do recurso da compra do Diogo Barbosa. Por isso, fechei o prazo com o BMG até o dia 21. Mas como o Gilvan é o presidente, a decisão seria dele. A gente não queria vender o jogador, mas até 31 de dezembro é ele que tem a caneta, e a gente respeita, pois quem tem que pagar as contas é ele”, disse o dirigente em entrevista ao Superesportes.