Futebol

Tinga não descarta voltar ao Inter, mas coloca “condições” para retornar

Publicado às

Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Tinga

Foto: Tinga

Crédito: Tinga brilhou no título da Libertadores (Foto: Site Inter)

Paulo César Tinga está no mercado. Não mais como o ágil volante que foi nos tempos de jogador, mas como um executivo de futebol com pensamento a longo prazo e foco no planejamento. Ele não acertou a permanência no Cruzeiro para 2018 mesmo após o título da Copa do Brasil e não descarta trabalhar no Inter, conforme revelou ao jornalista da GaúchaZH, Diogo Olivier.

Só que Tinga impõe “condições” para trabalhar no Beira-Rio no ano que vem. Não quer, de maneira alguma, ser contratado apenas por ter sido um ídolo enquanto jogador. Como atleta, ele participou das conquistas da Libertadores de 2006 e 2010, tendo marcado gols nas duas finais.




“Não adianta só chegar e dizer: topa? Tem de sentar e conversar sobre objetivos, meios disponíveis para alcançá-los, talvez eventuais abismos entre objetivos e meios. Ou não. Enfim: conversar. Não quero, ainda mais no meu clube do coração, ser contratado só por ser ídolo. Ou para dar uma força. Já aconteceu com outros no clube e não deu certo. Quero trabalhar, seja onde for, com uma visão menos imediatista, capaz de preparar algo melhor para quem vem depois. Não abro não disso”, explicou.

Foi esse pensamento de futebol planejado que fez Tinga recusar uma proposta do Inter em 2016. Em meio ao caos que o clube vivia no Brasileirão, que mais tarde se confirmou no inédito rebaixamento, a diretoria então comandada por Vitorio Piffero fez uma proposta ao ex-jogador, que recusou. Ele admitiu a situação em entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN Brasil, no ano passado.

Tinga também conta com a simpatia e a admiração da atual diretoria colorada. Em outubro, em entrevista concedida à Rádio Bandeirantes, o vice-presidente de futebol do Inter, Roberto Melo, fez rasgados elogios ao ex-volante. “O Tinga é um grande profissional. Ele está preparado para trabalhar em qualquer time do Brasil”. Atualmente, o Inter conta com Jorge Macedo na função de diretor-executivo.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Como o presidente do Inter justificou a demissão de Guto

Renato reclama de jogo em Caxias: “É um absurdo o Grêmio não mandar na Arena”

De 10 para 10: Douglas elogia D’Ale e revela bonito gesto do argentino