“Não se pode aceitar alguém que é condenado por estupro”, diz Casão sobre Robinho

Casagrande comentarista
Crédito da foto: Reprodução/Globo

O atacante Robinho segue com seu futuro indefinido para 2018. Com contrato com o Atlético-MG até o encerramento deste mês de dezembro, o experiente camisa 7 não deve renovar seu vínculo para permanecer na Cidade do Galo. Sem pressa para acertar com um novo clube, pode acabar retornando para o Santos, onde iniciou a carreira. Fora das quatro linhas, o jogador se defende de uma acusação de estupro, na Itália, na qual acabou condenado em primeira instância. O fato, foi comentado pelo comentarista Walter Casagrande, que defende que o “Rei das Pedaladas” não deveria ter mercado no futebol brasileiro.

Durante a edição desta sexta-feira, 29, do Seleção Sportv, o jornalista e apresentador Tiago Maranhão, leu uma mensagem enviada por Casão durante o programa. “Se o Robinho não tem mercado no exterior por estar condenado por estupro, não deveria ter aqui, também. Não se pode aceitar aqui alguém que é condenado por estupro. Está na hora de o Brasil ter valores melhores. O passado dele como jogador é ótimo, mas ser condenado por estupro tem um peso muito maior na minha opinião”, escreveu o ex-jogador.

Para embasar sua visão, Casão destacou que os atletas não podem ser privilegiados em casos de punições. “Ele ainda fala que a gente fala em punição para torcedor, banir torcedor de estádio, mas com jogador a gente tem um critério diferente“, relatou Maranhão.

Relembre o caso

A condenação de Robinho na Itália veio até no dia 23 de novembro. Na época, o jornal italiano “La Gazzetta Dello Sport“,  noticiou que a nona seção do Tribunal de Milão, condenou o atacante a nove anos de prisão pelo crime de “violência sexual em grupo” contra uma jovem albanesa de 22 anos. Ainda de acordo com a publicação, o ato teria acontecido em conjunto com mais cinco homens em uma boate na cidade italiana no dia 22 de janeiro de 2013, época em que defendia o clube Rossonero.

No mesmo dia, a Dra. Marisa Alija, advogada e representante de Robinho se pronunciou sobre o assunto. “Sobre a notícia envolvendo o atacante Robinho, em um fato ocorrido há alguns anos, esclarecemos que ele já se defendeu das acusações, afirmando não ter qualquer participação no episódio. Todas as providências legais já estão sendo tomadas acerca desta decisão em primeira instância”, disse um comunicado divulgado.

Recentemente, José Carlos Peres, eleito novo presidente do Santos, colocou o caso como um complicador na possível contratação do jogador. “Não prometi Robinho. Entendo que é um jogador identificado, tem que ser bem tratado na Vila, é um ídolo, mas há essa questão da Itália. O Robinho tem que se defender. Se estiver culpado, terá que pagar. Não podemos massacrar quem está em julgamento. Ele tem todo direito de se defender na segunda instância. Quem sou eu para julgar esse caso?”, disse. “Espero que ele seja inocente. Mas isso não tem nada a ver com contratação nesse momento. Não está em cogitação. Pode até acontecer nos próximos dias, uma boa proposta dele pra gente, um salário condizente. Hoje não existe negociação”, completou o mandatário, em entrevista à ESPN.

LEIA MAIS:

MERCADO DA BOLA: ATLÉTICO-MG FICA PRÓXIMO DE CONTRATAR ZAGUEIRO ARGENTINO
MERCADO DA BOLA: AGENTE ACREDITA NA PERMANÊNCIA DE FÁBIO SANTOS NO ATLÉTICO
DESTAQUE DA BASE DO SANTOS SE EMPOLGA COM CHANCE DE SER O CAMISA 9 EM 2018
MERCADO DA BOLA: SANTOS ELEGE ALVOS PARA O ATAQUE EM 2018; CONFIRA!
SANTOS SUPERA RIVAIS PAULISTAS EM RANKING MUNDIAL; CONFIRA



Estudante do 8º semestre de jornalismo e amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Atlético-MG e Futebol Feminino.