Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Jair faz análise sobre 2017 do Botafogo: “Pagamos o preço de termos jogado 120%”

O 2017 do Botafogo foi de altos e baixos. O time conseguiu boas campanhas na Libertadores e na Copa do Brasil, mas falhou na missão de conseguir a vaga na próxima edição da competição sul-americana no Campeonato Brasileiro. E o técnico Jair Ventura fez uma ‘retrospectiva’ na temporada.

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Divulgação/Twitter Oficial Botafogo

Em entrevista ao Globoesporte.com, o treinador botafoguense afirmou que o ano do Fogão teve duas partes: uma na qual o time obteve sucesso nas competições que participou e outra na qual fracassou no Brasileirão.

“Resumo o ano em duas partes. Dez meses maravilhosos e um mês muito ruim. Nos dez primeiros meses passamos pela pré-Libertadores, primeiro lugar na fase de grupos, oitavas, quartas de final e paramos no atual campeão da América (Grêmio). Não me lembro de uma equipe que tenha feito jogo tão duro contra o Grêmio. E fomos até a semifinal da Copa do Brasil. No Brasileiro, brigamos sempre na parte de cima da tabela. Mas novembro foi muito ruim, tivemos apenas uma vitória. Fomos muito abaixo do que fizemos durante o ano. Por isso perdemos a vaga e manchamos um ano que seria maravilhoso”, declarou Jair.

Sobre as razões que levaram ao Glorioso a não conseguir a vaga na Libertadores, Jair vê o enorme desgaste físico com as competições disputadas e as diversas perdas de atletas, principalmente pro lesões, como fatores que influiram no final de ano melancólico do clube.

“As pessoas falavam que em novembro já não estávamos mais em outras competições, mas deixamos o nosso melhor nelas. Pagamos um preço fisicamente por conta disso e também pelas perdas. Perdi meu artilheiro, ficamos sem o Roger por 16 jogos. O nosso time sentiu. Perdi também o Airton, o Sassá, o Montillo… Foram jogadores que começaram o ano e fizeram falta”, comentou o treinador do Botafogo.

“O que poderia ser feito de diferente? Difícil, se não tem outra coisa a fazer. Pagamos o preço por termos jogado 120%, mas se não jogássemos assim, não teríamos passado por tantas coisas boas nesse ano. Ficamos tristes e o torcedor também. Mas pedimos para que a torcida entenda. Um mês não pode apagar os outros dez”, completou.

LEIA MAIS

AINDA SEM ACERTO, AIRTON ESPERA DIRETORIA PARA RENOVAÇÃO DE CONTRATO

MERCADO DA BOLA: VEJA O RESUMO DE NEGOCIAÇÕES DOS TIMES BRASILEIROS

(Crédito da foto: Divulgação/Twitter Oficial Botafogo)

As melhores notícias de esportes, direto para você