Retrospectiva 2017: Relembre como foi a Superliga Feminina

A temporada 2016/2017 da Superliga Feminina teve mais uma vez o Rexona Sesc como grande campeão. O clube carioca fez jus ao investimento feito na temporada e foi a melhor equipe da competição tanto na fase classificatória quanto no mata-mata.

Mohamed Nassif
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Foto: Divulgação Rexona-SESC/Facebook

Na primeira fase, os 12 clubes se enfrentaram em jogos de ida e volta. O Rexona Sesc terminou na primeira colocação de maneira disparada. Fez 61 pontos, 10 a mais que o Vôlei Nestlé.

Ainda se classificaram para a segunda fase, em ordem de classificação: Praia Clube, Camponesa Minas, Bauru, Brasília, Fluminense e Pinheiros. São Cristóvão, Rio do Sul, Sesi-SP e Renata deixaram a competição ainda na fase inicial.

Nos playoffs, sem muitas surpresas. O Rexona bateu sem problemas o Pinheiros, assim como o Nestlé passou sem dificuldades pelo Fluminense. O Camponesa Minas teve alguma dificuldade contra o Bauru, mas também avançou. No duelo mais equilibrado das quartas, o Praia Clube eliminou o Brasília.

Nas semifinais, o Minas deu trabalho ao Rexona, que acabou vencendo a série por 3 a 2. O Vôlei Nestlé eliminou sem problemas o Praia Clube, fazendo 3 a 0 no placar.

Na grande final, em jogo único, o Rexona bateu o Vôlei Nestlé, por 3 a 2, e se sagrou campeão da Superliga Feminina da temporada.