Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Apesar dos problemas, Alonso destaca aprendizado nas 24 Horas de Daytona

Se preparando para uma possível participação nas 24 Horas de Le Mans, Fernando Alonso participou neste fim de semana das 24 Horas de Daytona, prova de abertura da temporada 2018 da IMSA. E apesar dos problemas mecânicos, o espanhol destacou o aprendizado na tradicional prova de endurance.

Rodrigo Nascimento dos Santos
Colaborador do Torcedores

Crédito: Instagram Oficial de Fernando Alonso

A participação de Fernando Alonso nas 24 Horas de Daytona não teve grande destaque, já que o Ligier #23 da equipe United Autosport teve alguns problemas mecânicos durante a tradicional prova de endurance, e terminou a corrida na 38ª posição na classificação geral.

Ainda assim, Alonso destacou alguns pontos positivos da prova americana, a qual serviu de aprendizado para o piloto espanhol se arriscar em junho nas 24 Horas de Le Mans, apesar dele ainda não ter confirmado oficialmente a sua participação na corrida de Sarthe.

“Tivemos uma boa parte da corrida em que fomos bem competitivos, o que foi uma surpresa. Não estávamos bem nos treinos, mas a situação mudou na corrida e frequentemente éramos um dos três mais rápidos. Estávamos muito confiantes durante a noite, mas tivemos problemas com os freios, que voltaram a aparecer depois”, declarou o espanhol após a prova em Daytona.

Inclusive, Alonso afirmou que chegou a acreditar em um possível pódio, já que o segundo carro da equipe, o #32 que contou com Paul di Resta e Bruno Senna entre os pilotos:

“Acho que o pódio era possível para a United. Por algum tempo para nós, mas também para o segundo carro. Mas essas corridas são assim. Tivemos sensações positivas. Foi uma bela experiência, um belo aprendizado.”

“Se eu correr em Le Mans, será minha segunda vez nesse tipo de corrida. Estaria muito mais preparado, isso é importante. Na próxima vez que eu pilotar esse tipo de carro já vou saber muitas coisas sobre tráfego, sobre como gerir a corrida, e isso sempre é bom. A questão não é só ser rápido, mas sim sentir a corrida e ganhar confiança nesse tipo de corrida”, completou Alonso.

LEIA MAIS:
CHRISTIAN FITTIPALDI VENCE AS 24 HORAS DE DAYTONA PELA TERCEIRA VEZ