Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Cyborg chama treinador da American Top Team de creonte: “Não tem honra”

Antes mesmo da curitibana campeã peso-pena Cris Cyborg defender seu cinturão diante da norte americana ex-campeã peso-galo Holly Holm no dia 30 de dezembro, na T-Mobile Arena em Las Vegas, Nevada, nos Estados Unidos, o treinador da American Top Team Conan Silveira, coach da baiana atual campeã peso-galo Amanda Nunes, concedeu ao “PVT”, uma entrevista polêmica onde comentou que a ‘Leoa’ gostaria de encarar a vencedora do duelo que aconteceu no UFC 219, em uma super-luta, e, inclusive, promoveu campanhas nas redes sociais para chamar a atenção do UFC, para que a organização presidida por Dana White, promovesse o combate entre as tupiniquins campeãs do Ultimate.

Dario Ferrari Rocha Teixeira
Escrevo sobre lutas em geral no Torcedores.com. São Paulino, fã do New England Patriots, Los Angeles Lakers e Los Angeles Dodgers. Noivo da Thays Gomes Lima.

Crédito: Cris Cyborg afirmou que Conan Silveira não sabe o significado de 'honra e respeito' (Foto: Getty Images).

Rebatendo todos os pedidos, Cris Cyborg, que no papel tem apenas uma grande adversária a ser batida, a australiana ex-campeã do Invicta FC Megan Anderson (que negou lutar com Cyborg no UFC Perth, ou UFC 221), pediu para que o UFC investisse mais na categoria em que ela compete, a peso-pena, que não tem, ao menos, um ranking oficial.

Leia também no TORCEDORES.COM:

Pelo mundo, Conan Silveira continuou a dar entrevistas falando da super luta, e, inclusive, Din Thomas, também treinador da “ATT” e parceiro de Silveira, afirmou que Amanda comentou com ele que tem certeza que Cyborg não ofereceria perigo algum para ela em uma possível embate.

Cyborg, sem papas na língua, enviou um comunicado ao Combate.com, respondendo todas as declarações de Conan Silveira.

“Eu acho que é uma piada o Conan Silveira dizer que eu preciso lutar com a Amanda Nunes para deixar o meu nome na história do esporte. Ele é um dos maiores creontes da história do MMA brasileiro. Estamos falando de um cara que pegou tudo o que o Brasil o ensinou e vendeu para os americanos por nada. No Brasil, as artes marciais são sobre respeito, rivalidade, competição e honra”, disse a brasileira, que parece não saber o que acontece hoje em dia no MMA Nacional, onde traidores e pessoas sem caráter dominaram completamente o cenário.

Cyborg foi além, relembrou os primórdios do MMA o extinto Pride FC, onde a rivalidade entre Chute Boxe (sua equipe desde sempre) e Brazilian Top Team, sempre respondiam provocações dentro do ringue da extinta organização japonesa presidida por Nobuyuki Sakakibara, atual CEO do Rizin Fighting Federation.

“Quando a Chute Boxe estava lutando contra a Brazilian Top Team no Japão, eles não precisavam que os treinadores pegassem o microfone e saíssem dando entrevista no lugar dos lutadores. O Conan não sabe o que é respeito e honra, ele é leal a quem for pagar mais. É por isso que o Conan não ficou do lado do mestre Ricardo Libório, porque os americanos estão pagando a ele muito dinheiro para ele se preocupar com seus pupilos chamando todo mundo no Brasil de lixo e animais imundos. Imagine se o Colby Covington agisse dessa forma que ele age e fosse treinar com as lendas da velha guarda da BTT. Vocês acham que Alan Góes, Nogueira e Ricardo Arona iam permitir que ele desrespeitasse um país inteiro assim? Conan sempre vai defender o time que estiver pagando mais e esse vai ser o legado dele no esporte. O dia que o Dan Lambert parar de pagar o salário dele, ele vai deixar de representar a American Top Team e vai colocar novamente o seu legado à venda, mas dessa vez o Brasil vai se lembrar”, finalizou.

As melhores notícias de esportes, direto para você