Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

F1: Mercedes nega grandes mudanças por conta da redução no número de motores por ano

A redução no número de motores que cada equipe poderá utilizar na temporada 2018, tem sido um dos pontos mais discutidos na F1, e enquanto alguns times demonstraram preocupação com isso, a Mercedes nega que essa mudança cause uma grande mudança dentro do time, e segue despreocupada.

Rodrigo Nascimento dos Santos
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Mercedes

A F1 2018 terá uma grande mudança no que diz respeito aos motores: o número de unidades de potência que cada equipe poderá utilizar. No ano passado, era permito a utilização de quatro unidades, que este ano foi reduzida para três.

Ou seja: provavelmente, veremos um número maior de punições para os pilotos no grid de largada, principalmente a partir da segunda metade da temporada 2018. Mas, nem todas as equipes estão preocupadas: atuais campeões, a Mercedes tem negado qualquer mudança drástica dentro do time alemão por conta desta redução.

Para Andy Cowell, que é o chefe de motores da Mercedes, a mudança exigirá motores com maior durabilidade, mas isso não exigirá nenhuma ciência nova as equipes da F1, apenas uma noção de que cada unidade de potência terá que durar por sete corridas, uma mudança apenas nos números:

“É um passo à frente, mas nos últimos 10 anos cada motor teve um aumento real de durabilidade, então não é novidade, é só um número”, declarou Cowell.

“Você tem que saber controlar o motor para ser capaz de fornecer qualidade entre a classificação e a corrida”, completou o chefe dos motores da Mercedes, equipe que tem dominado a categoria nos últimos quatro anos.

A nova regra foi criada para ajudar na redução de custos das equipes na F1, mas na verdade irá elevar os gastos, já que os motores terão que ser ainda mais confiáveis do que nas últimas temporadas, principalmente para as equipes que tiveram problemas de confiabilidade em 2017.

LEIA MAIS:
F1: MANOR CONSIDERA RETORNO CASO A CATEGORIA APROVE TETO ORÇAMENTÁRIO
F1: ALONSO QUER MCLAREN COM PINTURA SEMELHANTE A UTILIZADA NA INDY 500 EM 2017