Esportes Olímpicos

Serginho questiona a ‘meritocracia ‘, convocação para seleção brasileira e sobra até para Murilo

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Sada Cruzeiro Divulgação

O líbero Serginho do Sada Cruzeiro em entrevista concedida no último fim de semana, mais especificamente no sábado (03), quando a equipe mineira conquistou o tricampeonato da Copa Brasil sobre o Sesi São Paulo, por a 3 a 2, em uma partida marcada pela emoção e disputa do inicio ao fim. A competição foi realizada na capital paulista, no ginásio da Vila Leopoldina. Após a partida, perguntado sobre a atual conjuntura do vôlei nacional, o supercampeão Líbero não titubeou, em responder, especialmente, sobre seleção brasileira, legado e vídeo Check.

Os erros de arbitragem, devido, especialmente, a velocidade do jogo, o talento puro dos atletas e a falta de estrutura tecnológica para dar o aparato técnico que juízes precisam, só contextualizam o atual momento. Perguntado, se o Vídeo Check, deveria ser utilizado na Superliga, o líbero celeste respondeu. “Era pra ontem. São muitos erros cometidos. É Ate cruel para arbitragem. O jogo atualmente é muito rápido. Uma competição como a Superliga, não pode ficar sem o aparato eletrônico”, afirma.

Outro assunto, sempre comentado, “seleção brasileira”, o jogador ironiza o sistema de convocação. “Eles não mudam. É um grupo extremamente fechado. Aposto contigo que ele vai chamar o Murilo para a posição de Líbero”. Serginho cita que seleção brasileira nunca foi meritocracia e sempre há os favoritos, uma ‘panela’ formada, que nunca muda. Ele ironizava atual formação da seleção brasileira que não conta mais com outro líbero e seu xará, Serginho, conhecido como “Escadinha”. O atual líbero do Sesi Murilo Endres, vem atuando improvisado na posição, por conta de lesões que limitaram seus movimentos.

O ex-ponteiro já foi cogitado a defender a seleção canarinho novamente, com a promessa do atual técnico a recuperá-lo. Atualmente, Murilo vem se despontando na posição, sendo um dos pilares no passe para a equipe paulista. Endres, por ter tido uma trajetória longa na seleção, começa-se os rumores para a sua volta. Por conta dos fatos e o formato de gestão da seleção brasileira, como convocações, especialmente, o libero cruzeirense não acredita em uma convocação, mesmo diante o quadro de títulos e o destaque em cada temporada, defendendo a equipe mineira.

O Sada Cruzeiro entra no Hall das grandes equipes da história do vôlei mundial, o que é fato. Seria a melhor equipe do planeta, de todos os tempos? Para Serginho, os números só serão absorvidos no final da carreira. “Poderei ter a real noção do que somos, fomos, quando pararmos. Ganhamos mais títulos que todos, mas tudo isso só vai fazer sentido, quando tivermos mostrando para os filhos, a historia construída, conquistada, todos os títulos”, finaliza o libero e um dos maiores campeões do vôlei nacional.

Muito? Para o cruzeirense: “A busca sempre por mais conquistas é sempre um desafio pra não nos acomodarmos e chegar ao topo mais uma vez”, focado em títulos e marcar a história de vez no vôlei mundial.