Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Walter revela que cobra Inter por medalha da Libertadores: “Ainda não me deram”

Um dos personagens mais carismáticos do futebol brasileiro atual, Walter fez parte da arrancada inicial do Inter na Libertadores de 2010 e se vê no direito de ser premiado com a medalha de campeão. Na parada para a Copa do Mundo da África do Sul, ele foi negociado para o Porto e não participou das fases finais. Em entrevista concedida ao GaúchaZH nesta semana, o jogador do Paysandu lamentou não ter sido premiado.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Reprodução/Twitter

“Muito boa (a relação com o Inter). Conheço o Jorge (Macedo), que é o diretor que me contratou no São José de Porto Alegre. Eu fui campeão gaúcho, campeão da Libertadores, mas vou cobrar de novo. O Inter está me devendo a minha medalha, não me deram. Eu fui vendido para o Porto e não me deram minha medalha. Até hoje eu cobro, até hoje não me deram essa medalha”.

Naquele momento, no Inter, não foi apenas Walter que deixou o clube. A direção então comandada pelo presidente Vitorio Piffero e pelo dirigente Fernando Carvalho optou pela saída do técnico uruguaio Jorge Fossati, que deu lugar a Celso Roth. Na semifinal e na final, o colorado passou por São Paulo e Chivas, respectivamente.

E o peso?

Na terça-feira, Walter fez sua estreia com a camisa do Paysandu na goleada por 4×0 sobre o Interporto, pela Copa Verde. Ele não balançou as redes, mas mesmo assim chamou a atenção de todos pela forma física sempre avantajada. A foto de capa desta reportagem, por exemplo, viralizou nas redes sociais. E o jogador falou sobre o tema:

 

“Sempre tive problema de peso na minha carreira. “Ah, o Walter é um bom jogador, mas tem problema de peso”. Tem gente que tem problema com vício de bebida, tem gente que tem vício de droga. Querendo ou não, eu gosto de comer muito. Cortei algumas coisas: bolacha recheada, chocolate… Querendo ou não, a maioria dos jogadores come muita besteira. Isso é normal. Só que o meu estilo, meu corpo não pode isso. Estou com 28 anos e me acostumando”, disse.

 

Além de Inter e Paysandu, Walter passou por diversos clubes na carreira como Cruzeiro, Fluminense, Alético-PR e Goiás.

 

LEIA MAIS:

 

Três títulos em três anos: cada vez mais ídolo, Kannemann explica grande fase do Grêmio

Bruxo derrotado, Carol nervosa e cobrança de Renato: o outro lado do título do Grêmio

Grêmio conquista a Recopa e Douglas provoca Inter nas redes sociais