Para treinador, Hugo Calderano precisa de tempo para evoluir

O histórico resultado de Hugo Calderano no Aberto do Catar, no qual derrotou rivais de nome e só caiu nas finais, coloca o brasileiro como um dos possíveis astros do tênis de mesa no futuro. E o treinador do mesatenista acredita que há espaço para mais evolução por parte de seu comandado.

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Divulgação/COB

Jean-René Mounie, francês que trabalha como técnico da seleção brasileira de tênis de mesa, afirmou que vê Calderano como um ‘jogador top’. Mas vê que seu pupilo necessitará de ‘mais tempo’ para poder se firmar entre os melhores do tênis de mesa mundial.

“Sabemos que ele é um ‘top’. mas ele também é jovem, tanto pela idade quanto pelo treino. Ele tem menos hora de trabalho do que qualquer outro do top-15 mundial. O Hugo só precisa de um pouco de tempo para fixar suas ferramentas técnicas”, disse Mounie segundo o Globoesporte.com

“Sei que ele tem muita vontade de colocar o Brasil no topo e acho que o país tem sorte de se beneficiar de ter um atleta como ele. Fico orgulhoso de participar da evolução dele e do tênis de mesa brasileiro. É o meu jeito de retornar a confiança que a CBTM (Confederação Brasileira de Tênis de Mesa) depositou em mim. Sinto há uma parte brasileira dentro de mim”, completou o treinador.

Com o desempenho no Catar, Hugo Calderano deve aparecer entre os dez primeiros do ranking da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF). O brasileiro tem como próxima etapa o Aberto da Alemanha e mira, especialmente, o Mundial de Tênis de Mesa por Equipes, que começará dia 29 de abril, em Halmstad (SUE).

“Não esperamos buscar nada. Tentamos, sim, buscar desempenho. Para conseguir isso, o Hugo terá de desenvolver, de novo, um jogo ambicioso. Essa é a exigência dele”, comentou Jean-René Mounie.

LEIA MAIS

Helena Pacheco: “Sou totalmente contra você colocar uma pessoa do futebol masculino caindo de paraquedas no futebol feminino”

A temporada em hipismo teve dobradinha brasileira, confira

 

(Crédito da foto: Divulgação/COB)