Vozes da marca

Copa América 2019 promete novidades; Brasil é desde já o maior candidato ao título

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Facebook/CBF

Se você nunca teve o privilégio de ver Neymar, Messi, Suárez ou James Rodríguez de perto e não poderá concretizar o sonho de ir à Rússia para a Copa do Mundo, ainda há uma esperança. Dentro de pouco mais de um ano, o Brasil voltará a receber alguns dos maiores craques do planeta na edição 2019 da Copa América. Nas últimas semanas, o torneio tem começado a tomar forma, e com novidades. A começar pela expansão do número de equipes participantes e pela presença de países que jamais participaram do torneio. Quaisquer que sejam os concorrentes ao título, uma coisa já é certa: como anfitrião, o Brasil é o principal candidato a ser campeão.

Depois da experiência realizada na edição comemorativa de cem anos do torneio, em 2016, nos Estados Unidos, o formato com dezesseis seleções será mantido. Além das dez equipes da própria América do Sul, seriam convidados três times da Concacaf (os mais prováveis são Estados Unidos, México e Canadá) e três da Confederação Asiática.

O Catar, sede do Mundial de 2022, já disse ter recebido a proposta da Conmebol, respondendo de forma positiva. China e Japão seriam os outros países escolhidos. Apesar do inusitado de uma Copa América com equipes que representam nações do outro lado do globo, vale lembrar que isso já ocorreu no passado: os japoneses disputaram a edição de 1999, no Paraguai.

Tudo a favor dos donos da casa
Mesmo sem a confirmação de todas as equipes participantes, as casas de apostas esportivas já fazem as primeiras projeções sobre a briga pelo título – e inclusive já oferecem a chance de você colocar suas fichas no seu favorito a ser campeão. Qualquer que seja o desfecho da participação brasileira na Copa de 2018, o país-sede e selecionado mais vencedor da história do futebol é, naturalmente, o maior favorito ao título.

De acordo com o site Oddsshark.com, a conquista da equipe canarinho diante de seu torcedor – algo que serviria para amenizar em parte a enorme decepção com o Mundial de 2014 – oferece retorno de R$ 2,87 a cada R$ 1,00 investido.

Logo atrás do Brasil vem a Argentina, que devolve R$ 3,50/R$ 1,00 se for campeã. A albiceleste está completando um quarto de século sem conquistar nenhum título (desde a Copa América de 1993). Se passar em branco novamente na Rússia, virá ao Brasil sob fortíssima pressão para acabar com o jejum.

Depois de Brasil e Argentina, o terceiro principal candidato ao título é, curiosamente, uma seleção que nem sequer irá ao Mundial. Mas o Chile é o atual bicampeão do torneio, o que o coloca como postulante natural ao caneco. Segundo o Oddsshark.com, o tri dos chilenos paga R$ 7,00/R$ 1,00.

Cafeteros mais fortes que a Celeste
A Colômbia de James Rodríguez e Falcao Garcia também merece ser considerada, já que conta com um grupo bastante talentoso. O bom momento do futebol colombiano faz com que a equipe apareça à frente do tradicionalíssimo Uruguai na lista dos candidatos à taça. Um triunfo cafetero paga R$ 9,00/R$ 1,00, enquanto uma conquista celeste devolve R$ 13,00/R$ 1,00.

Vale lembrar que o Uruguai passará por uma transição depois da Copa, já que seu veterano treinador, Óscar Tabárez, vai se aposentar. O são-paulino Diego Aguirre é um dos mais cotados a assumir o cargo a partir do segundo semestre. No fim da relação dos concorrentes à taça está a Bolívia, uma enorme zebra que oferece nada menos de R$ 51,00 a cada R$ 1,00 aplicado se for campeã do torneio.

No ranking histórico da competição, o Uruguai segue sendo a seleção mais vencedora, com quinze títulos e seis vices. A Argentina, com catorze troféus e outras catorze medalhas de prata, vem logo atrás. O Brasil precisará de algumas décadas superando seus rivais para assumir a dianteira: soma oito títulos e onze vices.

A Copa América de 2019 será a última a ser disputada em anos ímpares, como vinha ocorrendo nas últimas décadas (com exceção da Copa América Centenário, uma edição especial). A Conmebol decidiu passar o torneio aos anos pares alternados com os Mundiais, seguindo o calendário da Eurocopa. A edição seguinte deverá ser realizada em 2024, no Equador.

Oito estádios em sete cidades-sede
A Conmebol e a CBF ainda não oficializaram os palcos escolhidos para o torneio, mas o mais provável é que oito arenas sejam utilizadas, sendo que São Paulo receberia partidas em dois estádios: Arena Corinthians e Allianz Parque. Rio de Janeiro (Maracanã), Belo Horizonte (Mineirão) e Brasília (Estádio Nacional Mané Garrincha) também estariam garantidos.

Salvador (Arena Fonte Nova), Porto Alegre (Beira-Rio), Fortaleza (Castelão) e Recife (Arena Pernambuco) seriam os demais estádios da Copa América. A confirmação deverá ocorrer nos próximos meses, iniciando a contagem regressiva dos torcedores brasileiros para o torneio que trará alguns dos maiores nomes do futebol mundial às suas cidades.

Confira as cotações das seleções já garantidas na Copa América 2019:

Brasil: R$ 2,87
Argentina: R$ 3,50
Chile: R$ 7,00
Colômbia: R$ 9,00
Uruguai: R$ 13,00
Equador: R$ 17,00
Paraguai: R$ 21,00
Peru: R$ 26,00
Venezuela: R$ 34,00
Bolívia: R$ 51,00

Aproveite e confira outros odds no Torcedores.

Este conteúdo é oferecido por OddsShark.