Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Volta Redonda denuncia Macaé no TJD por irregularidade no Campeonato Carioca

Na tarde desta quarta (04), o Volta Redonda divulgou uma nota oficial sobre o caso de irregularidade no Campeonato Carioca por parte da equipe do Macaé, onde o clube afirma que o atleta Lucas Gabriel teria sido escalado em seis jogos da Taça Rio, sem contrato com o time do Norte Fluminense. A diretoria do Voltaço já decidiu que até amanhã (05) enviará uma denúncia ao TJD-RJ (Tribunal de Justiça Desportiva). Se conseguir vencer a causa, a equipe do Sul Fluminense pode se livrar da Seletiva em 2019.

Anderson Ribeiro
Colaborador do Torcedores

Crédito: FOTO:Divulgação/ Facebook Oficial do VRFC

Lembrando que o Volta Redonda terminou o Estadual com sete pontos na classificação geral, ficando apenas à frente do Nova Iguaçu com seis pontos. Sendo assim, as duas equipes terão que jogar a Seletiva no próximo ano, para definir os clubes que ficarão na primeira ou na segunda divisão do futebol carioca.

Confira abaixo a íntegra da nota oficial do Volta Redonda

Após analisar a denúncia de possível irregularidade na escalação do atleta Lucas Gabriel do Macaé EC, que teria sido relacionado para todos os seis jogos da Taça Rio de 2018 sem ter um contrato com o clube, recebida na segunda-feira, dia 2, o departamento jurídico do Volta Redonda FC se convenceu do equívoco por parte da equipe do norte fluminense e decidiu que enviará, no máximo até esta quinta-feira (5), uma notícia de infração ao procurador geral do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ).

Pela documentação analisada, o contrato de Lucas Gabriel se encerrou no dia 20 de fevereiro e não foi renovado. Um aditivo do contrato teria que ter sido protocolado na Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), publicado no BID da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e, posteriormente, no BIRA, para que, sem qualquer exigência, o atleta tivesse condições de jogo, o que não foi feito. Ficou claro que houve um equívoco por parte do Macaé, que descumpriu, por seis vezes, o regulamento do Campeonato Carioca e o Código Brasileiro de Justiça Desportiva, escalando um atleta sem contrato com o clube. Com isso, o Voltaço entende que ignorar este fato atenta contra a segurança e a credibilidade do Campeonato Carioca.

A procuradoria tem o prazo de até 60 dias após a realização da partida para oferecer a denúncia e o clube irá amparar suas notificações em processos semelhantes, como nos seguintes exemplos: O caso do Barra Mansa, em 2015, quando o Nova Iguaçu ofereceu a notícia de infração; o do Angra dos Reis, em 2016, quando o Gonçalense ofereceu a notícia de infração; e o do Juventus, também em 2016, onde o Araruama ofereceu a notícia de infração. Em todos eles, o procurador, diante dos fatos, entendeu por levar os casos a julgamento, sempre dentro desse prazo de 60 dias, não tendo sido estabelecido nenhum prazo mínimo.

Por fim, o Volta Redonda FC esclarece que, antes de decidir pela interposição da notícia de infração, fez contato com dirigentes do Macaé, solicitando que os mesmos apresentassem a documentação do atleta, caso tivessem, o que poderia evitar o oferecimento da mesma, porém, nenhum documento foi apresentado. Assim, o clube reafirma a confiança de que a procuradoria irá analisar a notícia de infração e instaurar o processo para que o próprio Macaé possa se defender e o tribunal decidir com as provas apresentadas pelas partes.

Flávio Horta

Presidente do Volta Redonda FC

LEIA MAIS

CBF DIVULGA TABELA DO BRASILEIRÃO FEMININO;VEJA!

VEJA COMO COMPRAR INGRESSOS PARA A FINAL DO CARIOCA