Esportes Radicais

Brasileiros batem recorde Sul-Americano de Highline em dose tripla

Publicado às

Jornalista, fotógrafa, skatista e contadora de histórias de aventura.

Crédito: Reprodução Facebook Rafael Bridi

O grande palco do marco foi o Canion Espraiado, em Ubirici na Serra Catarinense. Três brasileiros conseguiram bater o recorde Sul-Americano, além de uma canadense que bateu o recorde mundial feminino na travessia.

A ideia partiu de 8 atletas que se reuniram na serra catarinense no final e abril para montar o maior highline da América Latina. O local escolhido foi o belíssimo Canion Espraiado no Campo dos Padres, na cidade de Ubirici-SC. A travessia alcançou 614 metros, com altura de 400 metros. Os catarinenses Rafael Bridi e Emanuel Inácio, além do baiano Matheus Vidal conseguiram atravessar a linha na primeira tentativa, sem quedas, e marcaram seu nome na história da América do Sul.

Rafael Bridi falou de suas dificuldades durante a travessia. “O maior desafio é se manter presente durante toda a caminhada. A minha travessia durou cerca de 42 minutos. Eu fui para a caminhada muito tranquilo. Estava me sentindo bem, conectado com minhas vontades e sem muita expectativas.”, declarou o atleta a revista Go Outside. Ele também fez uma publicação no Instagram para anunciar a conquista.

Novo RECORDE Sul Americano de Highline – 614 metros de distância 450 metros de altura ———— Poder atravessar sem quedas este #highline me deixa sem palavras. Não só pela travessia, mas por todo trabalho por trás. Tarefas necessárias e pesadas que só acontecem conforme o planejado através do esforço e companheirismo de uma competente equipe. Vivi momentos de pura realização e total imersão no meu estado presente ———— Agradeço em muito meus grandes amigos e companheiros de missão @palomahess @mianoblet @lucca_menezes7 @fylipew e @angelomragno que capturei este lindo click no início da minha caminhada. Também deixo meus parabéns a nova geração e também detentores do recorde @emanuinacio e @vidalhighline ———— Não há melhor sensação que caminhar por um longo período, observando os detalhes, conectando-se com a respiração. A cada passo mais perto da outra ancoragem e mais presente. Que outras longas ancoragens venham a ser o caminho escolhido. Felicidade que se múltipla ao ver aonde meu esforço tem me levado

Uma publicação compartilhada por Rafael Bridi (@rafa.bridi) em

De olhos vendados

Outras linhas de 330 e 170 metros de comprimento também foram montadas, onde os atletas testaram até mesmo de olhos fechados. Uma prática que exige muita concentração, mas também permite um momento de mergulho em si mesmo para os praticantes, como mencionou um dos recordistas, Emanuel Inácio, em um post no Instagram “pude perceber mais meu corpo e compreender ainda mais minha mente”.

Recorde Mundial Feminino

Mais uma grande marca foi deixada pela canadense Mia Noblat, que superou a seu próprio recorde feminino mundial, durante a travessia de volta. Ela também deixou um registro nas redes sociais.