Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Edgardo Bauza é o novo técnico do Rosário Central

Ex-técnico do São Paulo e da seleção argentina acertou o retorno ao time em que atuou na época de jogador. Será a quinta passagem de Edgardo Bauza no time argentino.

Rodrigo Bitar
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação Twitter Rosário Central

Edgardo Bauza está de time novo, o Rosário Central. Na verdade, não é tão novo assim. Patón está em sua quinta passagem na equipe. As três primeiras foram na época de jogador. O primeiro time profissional do zagueiro Bauza foi o Rosário, entre 1977 e 1982. O retorno aconteceu em 1986, ficando três temporadas. Em 1992, ano em que se aposentou, jogava no Veracruz, do México, mas voltou ao time argentino para se despedir do futebol.

Quando decidiu virar treinador, recebeu uma oportunidade na equipe a qual ele fez história ganhando dois campeonatos argentinos. Assumiu o time em 1998 e ficou até 2001.

Depois rodou por cinco clubes – Vélez Sarsfield e Colón (Argentina), Sporting Cristal (Peru), LDU (Equador) e Al-Nassr (Arábia Saudita) – até chegar ao argentino San Lorenzo em 2014. Esse ano foi extremamente vitorioso para Patón, que ajudou o “Ciclón” a vencer a Libertadores da América.

Por conta do bom trabalho, o São Paulo o contratou em 2016. Em uma temporada bem conturbada, fez uma boa Libertadores pelo tricolor paulista, sendo eliminado nas semifinais para o futuro campeão Atlético Nacional de Medellín.

Os dois trabalhos positivos em sequência valorizaram o trabalho do treinador, que assumiu a seleção argentina, mas não durou muito no comando. Com uma campanha ruim nas eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia e muita pressão da imprensa argentina, o treinador não resistiu ao cargo e acabou demitido.

Depois disso ainda treinou duas seleções nacionais, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita, a última já classificada para a Copa do Mundo. Mesmo assim o treinador não resistiu e acabou sendo demitido mais uma vez.

O reencontro de Bauza e Rosário Central acontece em um momento que não é bom de nenhum dos lados, mas o fato de Patón conhecer bem o clube pode ajudar os dois a voltarem às glórias.