Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Rafael dos Anjos sobre provocações de Colby Covington: “Bullying não funciona comigo”

Ex-campeão peso-leve do UFC e atualmente competindo na divisão dos meio-médios, onde ocupa a segunda posição, o brasileiro Rafael Dos Anjos irá encarar o ‘falastrão’ norte americano Colby Covington pelo cinturão interino da categoria até 77 kg no card do UFC 225, que será realizado no dia 09 de junho, no United Center em Chicago, Illinois, nos Estados Unidos.

Dario Ferrari Rocha Teixeira
Escrevo sobre lutas em geral no Torcedores.com. São Paulino, fã do New England Patriots, Los Angeles Lakers e Los Angeles Dodgers. Noivo da Thays Gomes Lima.

Crédito: Jeff Bottar | Getty Images | Zuffa LLC.

O embate entre Rafael dos Anjos e Colby Covington, havia sido marcado inicialmente para o UFC 224 que acontecerá no dia 12 de maio na Jeunesse Arena no Rio de Janeiro, porém, por medidas de segurança, o Ultimate resolveu mover o duelo para o card do UFC 225, já que, Covington, havia causado todo aquele reboliço durante sua vinda ao Brasil para encarar o também brasileiro Demian Maia, em outubro do ano passado, no UFC Fight Night 119 em São Paulo, quando chamou os brasileiros de ‘porcos imundos’, evento este, que teve a cobertura in loco do Torcedores.com.

Em entrevista ao UFC Brasil na tarde desta quinta-feira (03), ‘RDA’, que é conhecido por sempre ter a cabeça no lugar, mais uma vez afirmou que o jogo psicológico de Covington não irá afetá-lo.

“Sou nascido e criado na ‘Magnólia brasileira’, no bairro do Fonseca, esse negócio de bullying não funciona comigo não. As coisas que tinha na minha juventude, não vai ter igual.  A palhaçada é tudo o que ele tem para fazer, esse momento para conseguir a fama dele. Deixa ele fazer besteira, vou deixar ele ocupado tentando fazer um personagem. Eu estou preocupado em fazer o meu trabalho. Sou envolvido com artes marciais há muitos anos e minha base toda é do jiu-jítsu, então as coisas que aprendi são respeito ao adversário, à hierarquia. Não sei como é no wrestling. Esse trash talk está dominando o UFC, os caras acham que conseguem ter mais fama, visualização falando besteira, desrespeitando, falando mal do país das pessoas. Ele assumiu essa linha, mas prefiro respeitar e tenho a minha forma de fazer meu trabalho”, disse o brasileiro.

Leia também no TORCEDORES.COM:

Se conseguir a vitória dante de Colby Covington, na qual exaltou muitas qualidades como atleta, Rafael dos Anjos se tornará o único brasileiro a conseguir conquistar o título (mesmo que interino dessa vez) do UFC em duas categorias diferentes, e sabe o que esse feito histórico representará para o Brasil.

“Ele (Covington) é um cara forte, tem poucas lutas, está mais fresco no UFC. É um wrestler de muito alto nível, o Demian (Maia) tem umas quedas muito boas e não conseguiu derrubá-lo. É um bom lutador, tem um striking decente, mas acho que o ponto forte dele, o wrestling, é o que ele vai tentar, me agarrar, me derrubar. É um sonho realizado; eu sair de onde saí, graças a Deus consegui ser o primeiro não-americano a ser campeão em uma categoria dominada por americanos durante anos, o peso-leve. Mudei de categoria e estou chegando em outro cinturão, para mim é muito gratificante, é fruto do trabalho feito ao longo de anos. Não é uma coisa que começou ontem, mas há mais de 10 anos. O Tyron Woodley vai ter que esperar por mim. Ele acha que todo mundo tem que esperar por ele, que é um cara que defendeu o cinturão três vezes em um ano e agora pode ficar mais de um ano sem defender. Você não pode estar bom para lutar com um cara e não com outro. Ou você está machucado, ou não está. Isso não faz sentido, mas é o que ele estava fazendo. Queria lutar com Nate Diaz, GSP, outros caras. Passando essa luta, ele (Woodley) vai ter que esperar por mim”, finalizou com os pés no chão.

Até o momento apenas quatro lutadores conseguiram o feito de conquistar cinturões em duas categorias de peso diferentes do UFC, sendo eles: BJ Penn, Randy Couture, Georges St-Pierre e Conor McGregor.

Confira abaixo o card (até o momento – sujeito a alterações) do UFC 225: Whittaker vs. Romero 2:

  • Robert Whittaker vs. Yoel Romero – Pelo cinturão da categoria peso médio;
  • Rafael dos Anjos vs. Colby Covington – Pelo cinturão interino da categoria peso meio-médio;
  • Holly Holm vs. Megan Anderson;
  • Alistair Overeem vs. Curtis Blaydes;
  • Phil “CM Punk” Brooks vs. Mike Jackson;
  • Claudinha Gadelha vs. Carla Esparza;
  • Joseph Benavidez vs. Sergio Pettis;
  • Clay Guida vs. Bobby Green;
  • Rashad Evans vs. Anthony Smith;
  • Tai Tuivasa vs. Andrei Arlovski;
  • Mike Santiago vs. Dan Ige;
  • Rashad Coulter vs. Allen Crowder.