Mídia Esportiva

Jogo de abertura da Copa teve narração feminina pela primeira vez na história

Publicado às

Sou profissional na área de PcDs (Pessoas com Deficiência) e consultora sobre o tema. Crio elo entre empresas e profissionais PcDs, desenvolvendo relações que agreguem qualidade de vida para pessoas e geração de valor para empresas. Palestrante e Coaching, trago através do Torcedores.com informações sobre paratletas, suas modalidades e suas histórias de superações. Meu site: www.clickconsultoriapcd.com

Crédito: Instagram: vanessariche

Copa do Mundo 2018 já entrou para a história. Sendo a primeira vez, desde a estreia em 1930, que terá transmissão comandada por três mulheres em canal da FOX.

A narradora que quebrou esse tabu foi a Isabelly Morais. Ela trará uma cobertura cheia de vozes femininas durante toda a Copa do Mundo. O processo seletivo chamado “Narra Quem Sabe” selecionou três mulheres para comporem o time de narradores da Fox Sports na Copa do Mundo.

Isabelly foi escolhida para a primeira partida entre Rússia e Arábia Saudita, porém ela já narrou um jogo oficial pela rádio Inconfidência entre América-MG e ABC ano passado e continuou narrando pelo Mundial.

Ao lado de Isabelly estão Vanessa Riche e Eugênio Leal nos comentários e Nadine Bastos para analisar a arbitragem. A narradora mineira conseguiu dominar todos os desafios, desde os nomes complicados até os lançamentos, com maestria. Isabelly conseguiu transmitir com tranquilidade no microfone.

Mais do que narrar a partida, Isabelly trazia informações históricas das duas seleções como: estatísticas de jogadores, informações táticas das duas equipes e tudo como tem que ser. E ainda aproveitou o momento para usar o “mineirês” ao narrar que o goleiro “fez a catada” quando realizava alguma defesa. Ou seja, uma narração completa, de quem mostrou que realmente se preparou para o momento e soube o que dizer.

Porém, ainda tiveram alguns comentários preconceituosos que disseram “ter alterado o canal” para não ouvir uma mulher narrando e outros afirmando que “é muito estranho, não combina ouvir voz feminina na narração”.

Qualquer coisa diferente do que estamos acostumados soará difernte aos nossos ouvidos. E quem sabe um dia, de tanto as pessoas ouvirem, perceberão que pode também ser “normal” ouvir a voz feminina narrando futebol.