De volta da Turquia, meia revela planos para a carreira: “Quero ficar no Grêmio”

Enquanto aguarda a definição do seu futuro, o meia Lincoln treina em separado dos demais companheiros. Mas tem um foco claro na sua cabeça: deseja permanecer no Grêmio. Ele está de volta ao tricolor depois de uma temporada no Rizespor, campeão da segunda divisão turca.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Aos 19 anos, Lincoln se sente mais maduro e pronto para ajudar o Grêmio no primeiro semestre. Depois de ter surgido com Felipão e ganhado mais chances do técnico Roger Machado, o jovem acabou perdendo espaço com a chegada de Renato Gaúcho.

“Quero permanecer no Grêmio, temos muitos campeonatos para disputar. Todos me conhecem, os jogadores, o professor Renato. Eles sabem da minha qualidade e como posso ajudar o time”, disse, em entrevista ao GaúchaZH.

 

Apesar da pouca aparição no profissional do Grêmio em sua primeira passagem, ele entende que subiu na hora certa e que etapas não foram queimadas.

 

“Eu tenho certeza que não. Joguei na seleção de base cedo, entrei no clube com oito para nove anos, a maioria das vezes jogando na categoria de cima. Fiz coletivo com profissional quando tinha 15 anos. Não queimei etapas no Grêmio. Quem me subiu foi um treinador campeão do mundo (Luiz Felipe Scolari)“, alegou.

 

Lincoln garantiu que não conversou com a atual diretoria do Grêmio para saber o seu futuro, ainda indefinido.

 

LEIA MAIS:

 

Bolzan explica um dos fatores extracampo determinantes para a grande fase do Grêmio

Gremistas se derretem com atuação de Mário Fernandes pela Rússia: “Que saudades”

Gostou da matéria? Siga o autor:

No YouTube

No Instagram

No SoundCloud