Os heróis e vilões que marcaram as Copas

Reportagem : Bruno Seidel, Débora Carvalho e Fernanda Colombo

Debora Goncalves de Carvalho
Colaborador do Torcedores

Crédito: Confira quem foram os Heróis e Vilões da história das Copas do Mundo.

A cada quatro anos todos os países se juntam para saber qual seleção será a campeã da Copa. Porém, durante as partidas, alguns jogadores se destacam e se tornam heróis no gramado.

Outros, porém, recebem a fama de vilões do maior evento do futebol do mundo.

Considerar um atleta “herói” ou “vilão” depende muito da nacionalidade e da opinião de cada torcedor. E já que todo espetáculo tem o seu protagonista, o Time do Tas resolveu listar, abaixo, alguns atletas que foram os mocinhos e carrascos nas Copas do Mundo.

 

HERÓIS X VILÕES

1950
VILÃO:
Uruguai – A Seleção venceu o Brasil na Copa em pleno Maracanã. O episódio entrou para a história como “Maracanazo”.
HERÓI: Ghiggia – Para os Uruguaianos, ele foi o mocinho da vez, depois de fazer o gol do título da Seleção.

1954
VILÃO:
O brasileiro Nilton Santos e Bozsik, da Hungria, se agrediram e foram expulsos na Copa da Suíça.
HERÓI: Puskas – Considerado um dos melhores jogadores da história do futebol, o húngaro chegou até a final, mas acabou sendo derrotado pela Alemanha numa histórica virada: 3 a 2.

1958
VILÃO:
Camisa amarela – Brasil e Suécia foram finalistas naquele ano, mas como os suecos jogavam a Copa em casa, o Brasil teve que abrir mão da camisa amarela. Com a desculpa de que “azul é a cor do manto de Nossa Senhora Aparecida”, os brasileiros entraram confiantes em campo e levaram a melhor: vitória por 5 a 2 contra os donos da casa!
HERÓI: Pelé e Garrincha – Os dois jogadores marcaram com honra a Copa de 1958. Eterna dupla brasileira que nunca perdeu sequer uma partida jogando junta.

1962
VILÃO:
Lesão do Pelé – No mundial do Chile, na primeira fase do Brasil o jogador sofreu um estiramento na virilha e ficou fora do restante da Copa.
HERÓI: Garrincha – O ponta direita da Seleção chamou a responsa na Copa de 62 e levou o Brasil ao bicampeonato mesmo com a ausência de Pelé.

1966
VILÃO:
 Morais – O zagueiro português João Pedro Morais foi o responsável por perseguir e lesionar Pelé naquela Copa, o que culminou na eliminação do Brasil ainda na primeira fase.
HERÓI: Eusébio – O  Pantera Negra foi o nome desta Copa, levando Portugal ao inédito 3º lugar.

1970
VILÃO:
Roubo da taça – A taça Jules Rimet, que havia sido conquistada em definitivo pelo Brasil após a conquista do Tri, foi roubada anos depois e derretida. Que papelão, ein?
HERÓI: Pelé – No auge da carreira, o ‘Rei do futebol’ ganhou sua terceira Copa do Mundo naquele ano, com direito a um dos gols na final contra a Itália.

1974
VILÃO
: Johan Cruyff –  O craque holandês, que liderou a lendária Laranja Mecânica naquela Copa, marcou um dos gols da vitória sobre o Brasil por 2 a 0, sepultando a participação brasileira.
HERÓI: Beckenbauer – O capitão alemão Franz Beckenbauer levantou a taça do segundo título da Alemanha Ocidental e se tornou um dos símbolos do futebol de seu país.

1978
VILÃO:
Ramón Quiroga – o goleiro argentino (naturalizado peruano) sofreu seis gols na derrota para a Argentina por 6 a 0, resultando na eliminação do Brasil pelo critério de saldo de gols. Até hoje tem gente que acusa o goleiro de ter entregue o jogo.
HERÓI: Mario Kempes – Jogador Argentino foi considerado um dos melhores dentro de campo em 78.

1982
VILÃO: Cerezo – um passe errado de Toninho Cerezo, no meio de campo, culminou no segundo gol da Itália no jogo em que os italianos eliminaram o Brasil ao vencer por 3 a 2.
HERÓI:  Paolo Rossi – Jogador Italiano foi eleito o melhor da Copa de 82.

1986
VILÃO:
Zico – o maior craque da seleção naquela Copa perdeu um pênalti contra a França no jogo em que o Brasil foi eliminado.
HERÓI: Maradona –  o craque argentino levou sua seleção nas costas e assegurou o bicampeonato dos hermanos.

1990
VILÃO:
Dunga – símbolo do fiasco brasileiro naquela Copa, Dunga ficou marcado por uma eliminação precoce diante dos nossos rivais argentinos.
HERÓI: Gascoigne – ao saber que tinha sido suspenso de uma possível final, o inglês chorou copiosamente. Suas lágrimas são lembradas até hoje.

1994
VILÃO:
Maradona – um dos maiores jogadores de todos os tempos foi pego no exame de doping e acabou sendo banido do mundial.
HERÓI: Romário – o “baixinho” deu show em 94 para o Brasil. Com cinco gols e atuações decisivas, Romário foi “o cara” do Tetra!

O baixinho deu show em 94 para o Brasil.
(Foto: Reprodução / Instagram).

 

1998
VILÃO: 
Convulsão do Ronaldo – uma convulsão horas antes da grande final e uma atuação bem abaixo do esperado no jogo mais importante da Copa frustraram o país inteiro.
HERÓI: Zinedine Zidane – para os franceses, ele foi o grande herói daquela Copa. Um dos melhores jogadores de todos os tempos e símbolo máximo daquela seleção francesa, “Zizou” ainda conseguiu o feito de marcar dois gols na final. Uma lenda do futebol!

2002
VILÃO:
A arbitragem foi um escândalo à parte nessa Copa. Erros grotescos acabaram eliminando seleções como Espanha e Itália diante da Coreia do Sul, que chegou até as semi-finais.
HERÓI: Ronaldo – O camisa 9 do Brasil bateu a marca do polonês Lato, fazendo oito gols.

2006
VILÃO:
Zidane – herói incontestável em 98, Zidane perdeu a cabeça durante a prorrogação, na final, e acabou agredindo o italiano Marco Materazzi com a cabeça (a mesma cabeça que fez dois gols na final de oito anos atrás). Foi expulso e viu sua seleção perder a final para os italianos nos pênaltis.
HERÓI: Matarazzi – Além da cabeçada, ele teve uma Copa perfeita. Se superou depois de muitas críticas e era seguro na defesa.

2010
VILÃO: Gyan, Gana em 2010. Apesar de ter sido o principal destaque, foi ele quem perdeu o pênalti que classificaria o time nas Quartas.
HERÓI: Iniesta. Autor do gol do título. Além da belíssima carreira que teve, esse gol é a cereja no bolo.

2014
VILÃO:
Zuniga – o colombiano tirou Neymar da Copa ao atingir o craque com uma joelhada nas costas, durante partida válida pelas quartas-de-final.
HERÓI: Mario Gotze – o reserva de 22 anos entrou no segundo tempo da Final e fez, na prorrogação, o gol do Tetra da Alemanha contra a Argentina, em pleno Maracanã.

2018
Em menos de 10 dias para começar a Copa, alguns torcedores estão apostando no ponta-direita do Egito , Mohamed Salah. O jogador que defende a camisa do Liverpool, já o protagonismo da Seleção Egípcia.

E você, apostaria em qual jogador como carrasco em campo?

Salah é um dos jogadores favoritos atualmente. Há possibilidade dele ser o próximo herói nesta Copa. (Foto : Reprodução / Instagram)