Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Novo alvo do Grêmio foi responsável direto pelo rebaixamento do Inter em 2016

Marinho abre os braços e indica ao companheiro que está livre no flanco direito. Recebe, dribla o zagueiro e dá a assistência para o empate. Minutos depois, ele mesmo decreta o 3×2 do Vitória sobre o Atlético-PR, no Barradão, em jogo que determinou a ida do Inter para a zona do rebaixamento faltando somente quatro rodadas para o término do Brasileirão de 2016. E de lá, o colorado não mais sairia.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Divulgação/Vitória

O atacante, naquele campeonato, virou sinônimo de alegria para os gremistas e pesadelo para os colorados. Com América-MG, Santa Cruz e Figueirense já fadados ao rebaixamento, a briga para fugir da última vaga ficou entre Inter e Vitória. E os baianos, impulsionados por Marinho e pelo técnico Argel Fucks – que havia iniciado a campanha no próprio time gaúcho -, levaram a melhor.

A importância do jogador na reta final daquele certame é ilustrada pela seguinte estatística: nos 10 jogos finais do Vitória no Brasileirão, Marinho marcou 8 vezes. A fase gerava até uma situação curiosa à beira do gramado. Em vez de orientações táticas, Argel enchia os pulmões para pedir o óbvio aos demais jogadores: “Dá no Marinho!”.

O próprio Inter foi vítima do jogador em 2016. Ainda no primeiro turno, quando o colorado – sabe-se lá como – disputava a liderança ponto a ponto contra o Palmeiras, Marinho fez o gol solitário da vitória por 1×0 no Barradão. Com classe, ele encobriu o arqueiro Danilo Fernandes:

O destino, em 2016, resolveu pregar uma peça no Inter. Isso porque Marinho, no Beira-Rio, foi rejeitado em mais de uma ocasião em anos anteriores. Contratado como promessa das categorias de base do Fluminense em 2009, o velocista nunca teve sequência de jogos no Beira-Rio e rodou de empréstimo em empréstimo em clubes de menor porte como Caxias, Ituano, Paraná e Goiás.

Aliás, foi no Fluminense que ele teve a oportunidade de conhecer e, logo de cara, gostar de um certo treinador que pode voltar a cruzar o seu caminho – agora no Grêmio: Renato Gaúcho.

“Ele me deu muitas chances, e eu joguei a Série A já em 2008, com 18 anos. De lá, tudo aconteceu rápido demais. Sou muito grato ao Renato, que é uma figuraça”, revelou Marinho, em entrevista antiga à ESPN Brasil.

Embora oficialmente o presidente Romildo Bolzan Jr negue a existência de negociação, o Grêmio está, sim, interessado em Marinho, atualmente no Yatai, da China. Segundo o portal Globoesporte.com, o clube já abriu negociações em valores menores do que os 5 milhões de euros pagos pelo Yatai ao Vitória em 2017 – a oferta giraria próxima dos 3 milhões de euros (R$ 12 milhões).

O clube busca opções para o setor ofensivo e mira jogadores de lado de campo, como forma de alternativas a Luan, Everton e Alisson. Sem sucesso, Maicosuel será devolvido ao São Paulo.

LEIA MAIS:

Bolzan explica um dos fatores extracampo determinantes para a grande fase do Grêmio

Gremistas se derretem com atuação de Mário Fernandes pela Rússia: “Que saudades”

Gostou da matéria? Siga o autor:

No YouTube

No Instagram

No SoundCloud