Torcedores – Notícias Esportivas

Por que o Santos é chamado de peixe se o mascote é a baleia?

O Santos sempre foi ligado aos mares por um fator de localização geográfica. O alvinegro é praiano, sediado em Santos, mesmo que tenha grande parte de sua torcida na capital paulista. Pela geografia da questão, desde o início da história do clube os jornais esportivos buscavam alcunhas relacionadas à água para apelidar o Santos.

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016. Radialista na Paiquerê 91,7.

Crédito: Reprodução/Santos FC

Conhecido até hoje como Peixe, foi exatamente este o animal que foi desenhado inicialmente como mascote do clube em 1921 por um jornal da época. Anos depois este peixe passou a ser mais estilizado e realmente se tornou símbolo do torcedor até a década de 40.

Um jornalista português considerava o animal frágil e propôs a escolha de outro símbolo para o Santos: um marinheiro, capitão dos mares. Segundo o Centro de Memória e Estatística do clube, o “Garboso” – como batizado o marinheiro – foi ilustrado pela primeira vez na Gazeta Esportiva de 1943, mas foi em 1944 que ganhou popularidade por meio de charges no jornal.

A baleia só foi inventada como mascote do Santos na década de 50, quando retomaram a ideia do peixe e mais uma vez o viram como um animal frágil para representar a instituição. Ao longo da história outros personagens já foram propostos como símbolos oficiais – pescador, peixeiro e golfinho, por exemplo – até que chegassem ao consenso de definir o peixe como apelido e a baleia como mascote.

LEIA MAIS:
SANTOS SE APROXIMA DA CONTRATAÇÃO DE JOGADOR DA SELEÇÃO URUGUAIA