Futebol

Presidente da CBF explica escolha por Marrocos após prometer voto aos EUA como sede de Copa

Publicado às

Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.

CBF

Crédito: Reprodução/CBF TV

O presidente da CBF, Coronel Nunes, entrou em saia justa ao escolher o Marrocos para ser sede da Copa do Mundo de 2026. Ele havia prometido junto a Conmebol votar no trio Estados Unidos, México e Canadá. Como justificativa, ele disse que o país africano jamais sediou um Mundial.

Segundo a imprensa brasileira na Rússia, Nunes achou que o voto era secreto e se surpreendeu quando viu a Fifa divulgar os resultados com as escolhas dos países sobre a preferência da sede da Copa de 2026. Dos dez votos sul-americanos, apenas o Brasil “furou” o acordo e o mandatário da CBF se explicou.

“Os Estados Unidos já sediaram uma vez, né? O México vai para a terceira Copa. Eles (o Marrocos) nunca foram sede de uma Copa. Então, por isso, fiz essa escolha”, disse Coronel Nunes em entrevista na zona mista.

Dois dias antes do anúncio da sede da Copa do Mundo de 2026, a Conmebol havia publicado em sua rede social apoio unânime dos países sul-americanos aos Estados Unidos, México e Canadá. O acordo havia sido feito após uma reunião do conselho da entidade em um hotel em Moscou.

A mudança de ideia de Coronel Nunes, porém, não fez diferença. O trio de países bateu Marrocos por 134 a 65.

O presidente da CBF ainda disse não acreditar que o fator econômico da candidatura tripla tenha sido decisivo para derrotar Marrocos (A candidatura de Estados Unidos, México e Canadá promete lucros de mais de 4 bilhões de dólares).

“Não acho que tenha sido isso. Acho que pesa mais nesse momento a questão da simpatia. Se fosse analisar o fato de quem ainda não fez um Mundial, talvez o Marrocos levasse”, concluiu.

O presidente da US Soccer, Carlos Cordeiro, admitiu que não esperava o voto contrário da entidade brasileira, mas preferiu minimizar a atitude.

“Foi uma surpresa, sim. Mas respeitamos os votos de todos. E não estamos procurando quem votou na outra candidatura”, afirmou.

LEIA MAIS
Presidente da CBF comete gafes em conversa com jornalistas na Rússia