Rosinei, ex-Corinthians, explica decisão de aposentadoria e fala sobre novos planos

Revelado pelas categorias de base do Corinthians, o meia Rosinei pendurou as chuteiras no final de março após quase 15 anos de carreira profissional. O seu último clube foi o Juventus-SP. Em entrevista ao Torcedores.com, o ex-meio campista contou por que tomou a decisão.

Rafael Alaby
Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)

Crédito: Foto: Rafael Alaby/Torcedores.com

“Vinha sofrendo com muitas lesões e dores, e optei por não continuar a carreira como atleta. Espero agora dar sequência em outra área, no esporte mesmo. Espero estudar e procurar aprender cada vez mais para poder entrar em área que identificar”, disse Rosinei, após participar do evento Fut-Encontro, realizado em shopping da zona Sul de São Paulo.

“Quero estar envolvido no gramado onde tive felicidade por muitos anos. A minha ideia é ser treinador, auxiliar ou algo desse tipo. Mas vou amadurecer mais a ideia e ver o que vai acontecer para o futuro. Sou uma pessoa muito pés no chão e procuro deixar meu futuro nas mãos de Deus”, completou ele, que se divide entre as cidades de São Paulo e Cruzeiro, no interior paulista.

Rosinei defendeu o Corinthians entre 2004 e 2007 e disputou boa parte da campanha do título do Brasileirão de 2005. Ele ainda teve rápida passagem pelo Murcia-ESP, em 2008, antes de voltar ao Brasil para defender o Internacional (2008-2009). Entre 2009 e 2011, o paulista nascido em Lavrinhas atuou pelo América-MEX.

No final de 2012, o meia foi anunciado como reforço do Atlético-MG e fez parte da conquista da Copa Libertadores do ano seguinte. Após a saída do Galo, em 2014, Rosinei passou por Coritiba, Paraná, Tigres do Brasil, Fortaleza, Almirante Barroso, CSA e Juventus-SP, onde disputou a série A-2 do Campeonato Paulista.

Copa do Mundo

Em bate-papo com a reportagem, o ex-jogador, hoje com 35 anos, também falou sobre Copa do Mundo e disse acreditar no hexacampeonato da seleção brasileira mesmo após um resultado decepcionante na estreia contra a Suíça (empate por 1 a 1), em Rostov.

“Eu acredito muito. A estreia foi muito difícil, a ansiedade influenciou muito os atletas, o peso da última Copa, onde o Brasil não foi bem e perdeu de goleada para a Alemanha. Mas acredito que nesse próximo jogo (Costa Rica, na sexta-feira) a seleção vai ter um bom desempenho e conquistar uma boa vitória para trazer de volta a animação ao torcedor”, comentou.

VEJA TAMBÉM:

Corinthians pode lucrar quase R$ 5 milhões em negociação de Léo Jabá com time grego 

Há 6 anos, Corinthians se classificava para final da Libertadores em cima do Santos