Suécia atropela o México, mas as duas seleções comemoram a classificação

Em jogo muito tenso, marcado pelo recorde do cartão amarelo mais rápido da história das Copas, os suecos tiveram a chance de aplicar uma goleada histórica sobre os mexicanos, venceram por 3-0 e quase eliminaram o rival. A surpreendente derrota da Alemanha para a Coréia do Sul, porém, manteve o México vivo na Copa do Mundo.

Thiago Barros
Colaborador do Torcedores

Crédito: Getty Images

O jogo

Ao contrário do que se imaginava, a Suécia tomou o controle da partida desde o início e buscou a vitória. Ela veio de forma categórica. O México, por outro lado, demonstrou-se muito nervoso durante todo o jogo e mal lembrou o time que fez bonito nas primeiras rodadas. A Suécia deixou a bola com o México e explorou o que fez dela letal ao tirar Itália e Holanda nas eliminatórias: o contra-ataque.

Primeiro Tempo

A partida mal começou e o zagueiro mexicano Gallardo recebeu o amarelo após falta dura em Toivonen. O lance aconteceu aos cinco segundos e tornou-se o cartão mais rápido da história das Copas. Desde o início, a Suécia ditou o ritmo de jogo e explorou bem as deficiências do adversário.

Aos 11 minutos, após escanteio, Granqvist tocou de cabeça, Forsberg deu uma puxeta e quase marcou o gol da seleção escandinava. O México não demorou a responder e perdeu um gol com Vela aos 16 minutos. No lance seguinte, Forsberg recebeu sozinho dentro da área e isolou a bola.

Aos 27 minutos, o lance mais polêmico do jogo. Ao tentar ajeitar uma bola na área, Chicharito desviou com o braço e o árbitro mandou o jogo seguir, porém foi orientado a rever sua decisão pelo VAR. Mesmo após ver o lance, Nestor Pitana entendeu que não foi pênalti.

Aos 30 minutos, Berg recebeu cruzamento, desviou de sola e Ochoa operou um milagre. Berg teve grande chance também de fazer o gol sueco aos 46 do primeiro tempo, quando partiu no contra-ataque, chutou forte e a bola bateu na rede pelo lado de fora.

Segundo Tempo

A Suécia voltou ainda mais ligada para o segundo tempo. Aos 4 minutos, após cruzamento da direita, Claesson furou, mas o lateral Augustisson pegou a sobra e chutou com força. Ochoa ainda desviou, mas não conseguiu impedir o gol dos escandinavos.

A Suécia continuou pressionando e o México acuado. Aos 15, Berg recebeu na área, Moreno entrou de carrinho e cometeu o pênalti. Granqvist, o zagueiro capitão, cobrou no ângulo direito do goleiro Ochea e ampliou o placar.

Com a possibilidade real de eliminação, caso ocorresse um gol alemão na partida contra os sul-coreanos que ainda estava 0-0, a partida virou um dramalhão mexicano.

O México, muito nervoso, não conseguia assustar a Suécia, que oferecia perigo nos contra-ataques. Aos 28, após cobrança de lateral para a área, Toivonen tentou desviar e Álvarez se atrapalhou todo e mandou para o próprio gol. A Suécia fazia 3-0 e o drama só aumentava.

A seleção sueca passou a cadenciar o jogo e o México parecia mais preocupado com o jogo da Alemanha do que propriamente em tentar se recuperar na partida. Aos 35, Chicharito recebeu na área, ajeitou bonito no peito, chutou cruzado e Vela desviou de cabeça, mas a bola foi para fora. Essa foi a melhor chance mexicana no jogo.

Até o fim, o drama aumentou, mas os dois gols da Coréia do Sul na outra partida classificaram a seleção mexicana junto com uma segura Suécia que mostrou eficiência no jogo que se propôs a fazer.

Próxima fase

A Suécia passou na primeira posição do grupo e aguarda o segundo colocado do grupo de Brasil, Suíça, Sérvia e Costa Rica. O México, por outro lado, aguarda o primeiro colocado da chave do Brasil. O jogo do México será na segunda-feira às 11h e a partida da seleção escandinava será na terça-feira às 11h.