Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Basquete Osasco estreia na Divisão Especial do Campeonato Paulista neste sábado; veja mais

Amanhã (28) basquete Osasco estreiará no Campeonato Paulista, às 15h, contra o Sesi Franca. A partida será realizada no Ginásio Geodésico, com entrada gratuita.

Ana Bracarense
Eu transformo a vida das pessoas para que saibam reconhecer o que é importante no trabalho e porque devem crescer junto com a empresa. A felicidade do funcionário faz parte do processo, mas uma peça essencial no meu método é saber reconhecer o que realmente importa. O quanto você/seu funcionário se importa com a empresa?Entre no site da Click Consultoria: www.clickconsultoriapcd.com e encaminhe um e-mail com assunto: EU QUERO

Crédito: Bruno Ulivieri

O time de basquete contará com os seguintes jogadores. São eles: os armadores Robinho (ex-Corinthians) e Vinícius de França (ex-Palmeiras), os alas/armadores Thiaguinho (ex-Franca), Gegê (ex-Pinheiros) e Souza (ex-América-SP), os alas Lelê (ex-Flamengo) e Castellon (ex-Macaé), o ala/pivô Kleiton (ex-Brusque) e os pivôs Tom (ex-Londrina) e Matheus (ex-Macaé). O armador Thyago Aleo, que foi capitão na temporada 2017.

O amador Robinho e o pivô Tom falaram exclusivamente com o Torcedores.com. Confira:

Robinho que jogou o Paulista de 2017 pelo Basquete Osasco e depois foi campeão da Liga Ouro pelo Corinthians. Agora, retornou ao esquadrão osasquense.

“Será o campeonato mais equilibrado dos últimos anos, pois grandes forças do basquete brasileiro estão em São Paulo. Não à toa o estado tem campeão e vice do último NBB, que são Paulistano e Mogi. Fora outras equipes muito fortes, como Bauru e Franca. Osasco lutará muito para brigar de igual para igual e fazer uma boa campanha”, diz Robinho.

Mesmo tendo jogadores bons em outros times, ele está confiante, pois a equipe tem jogadores de qualidade e aos poucos eles irão adquirir o entrosamento necessário. O professor Enio Vecchi é muito experiente e com certeza um diferencial por tudo o que passa para seus jogadores, tanto em termos técnicos, quanto táticos.

“Espero que os torcedores possam nos apoiar muito ao longo do campeonato. No ano passado a torcida abraçou o time e esse ano precisamos contar novamente com o nosso sexto jogador. As partidas no ginásio Geodésico são gratuitas e o ambiente é muito familiar, então faço questão de convocar os osasquenses e apaixonados por esportes em geral. O Ninho da Coruja vai ferver”, finaliza Robinho.

Tom, que disputou a última Liga Ouro pelo Londrina-PR e já passou por Minas, Franca, Rio Claro e Contagem e agora está jogando pelo Osasco.

“Apesar de apenas duas semanas de treinos, a nossa preparação foi muito boa. Todo mundo abraçou o time e todos estão comprometidos. Daremos o nosso melhor, o nosso máximo, e aos poucos vamos nos encaixando e obtendo entrosamento. A estreia será contra um grande time, mas lutaremos até o fim para vencer em casa”, diz Tom.

Tom está bastante confiante. Apesar dele estar chegando agora ao basquete Osasco, ele espera ajudar o time a fazer um grande Campeonato Paulista. Ele acredita no projeto e gosta muito do Enio Vecchi, um técnico vencedor, que incentiva o time. Ele diz que isso motiva qualquer profissional.

“A torcida será essencial durante todo o campeonato. Contamos com a presença do torcedor para que seja nosso parceiro, cante alto e forte e transforme o ginásio Geodésico num caldeirão”, finaliza Tom.

“O Campeonato Paulista conta com as grandes equipes que disputam os melhores campeonatos nacionais e também internacionais, e evidentemente precisamos acompanhar esses times, que têm tradição e também muita qualidade, com jogadores renomados. Dentro disso, vamos tentar entrar nesse seleto grupo”, diz Enio.

Sua ideia é jogar com os melhores para tentar igualá-los ou até superá-los. Esse é o objetivo do Osasco na competição. Para superar as equipes exige-se concentração muito grande. Todos os jogos valem muito, inclusive, pelo formato da competição, com apenas seis se classificando para os playoffs. Osasco tem muito trabalho pela frente, com inúmeros desafios, mas buscando deixar a equipe em condições competitivas de igualdade”, diz Enio.