Confira os melhores momentos da cobertura da Copa do Mundo feita pelo #TimeDoTas

A Copa do Mundo não teve apenas 32 seleções. O torneio não teve apenas um campeão. Essa Copa foi diferente. Havia algo de diferente. Havia o #TimeDoTas.

Daniel Aloisio
Sou estudante de jornalismo e estou no Time do Tas para cobrir a Copa do Mundo pelo Torcedores.com. Confira o meu Instagram @danielaloisio_

Crédito: Arte Bruno Seidel

Quando houve o pontapé inicial da partida de abertura da Copa, entre Rússia x Arábia Saudita, no dia 14 de junho de 2018, um outro time já estava em campo. Desde o dia 14 de maio de 2018, há um mês atrás da abertura do torneio, o Time do Tas publicava matérias sobre a Copa do Mundo. O “campo”, neste caso, não era o gramado de um estádio. Era a plataforma Torcedores, palco cibernético das grandes jogadas desse time.

Nos bastidores, a confiança já estava em alta, pois o “professor” da equipe tinha muita experiência. Marcelo Tas foi o homem encarregado de liderar a equipe composta por 11 “jogadores” dos mais de 3.000 inscritos no curso Cobertura da Copa do Mundo com Marcelo Tas, promovido gratuitamente pelo próprio Torcedores. Tudo isso com base no viés educativo da plataforma, fator que abrangia o público-alvo às pessoas que nem eram formadas em comunicação.

Por isso, estudantes de jornalismo se misturaram com profissionais de experiência para cobrir a Copa do Mundo. Os nomes desses 11 escolhidos são: Bruno Seidel, Daniel Aloisio, Débora Carvalho, Fernanda Colombo, Gabriela Garcia, Gabriel Rigoni, Gustavo Altman, Josuá Barroso, Lucas Meireles, Matheus Bosco e Thiago D’Amaral.

Era um verdadeiro time de futebol. E como todo time, havia também os auxiliares do técnico, o preparador físico, o preparador de goleiros… Lucas Tieppo, Renan Prates, Maxi Garcia Sola, Marco Aurélio e tantos outros que estiveram nos bastidores desse Time. A seleção do Torcedores estava pronta para a Copa do Mundo.

O jogo

Na internet, o jornalismo tem suas vantagens e desvantagens. Sem a internet, fazer um projeto como esse não seria possível, você nem estaria lendo esse texto! Ao mesmo tempo, prender a sua atenção para que continue lendo esse texto é um grande desafio. Ter a concorrência inumerável de diversos outros sites de notícias é ainda assustador! Os medos e dificuldades eram grandes, mas tudo foi bem superado.

Logo no início da cobertura, uma matéria sobre um tal “efeito ganso” chamou a atenção do time pela quantidade de leituras. Começamos no caminho certo. Para preparar os corações dos torcedores para a Copa, várias matérias foram publicadas antes do torneio começar. Como não lembrar do vídeo que mostrava como o interesse das pessoas por política era maior do que o interesse pela Copa, que estava perto de começar?

Além disso, teve a greve dos caminhoneiros, a recuperação de Neymar, uma cidade do interior da Bahia e um fusca que acabara de embarcar para a Rússia. Diversos conteúdos foram produzidos antes do torneio começar. Esse foi o nosso aquecimento para o início da partida de futebol.

Leia mais:

Gabriel Rigoni conta como foi cobrir a Copa do Mundo no Time do Tas

Vídeo: Thiago D’Amaral conta sua experiência com o Time do Tas

“Foi um aprendizado intenso e exponencial”, revela Bruno Seidel , do #TimeDoTas

Quando o jogo começou, tudo ficou muito mais intenso. As notícias surgiam a todo momento e a pressão começava a ficar maior. Mas assim como os diamantes são formados sob enorme pressão, o Time do Tas soube usar as dificuldades ao seu favor. Foi assim que muitas boas histórias foram contadas durante a Copa.

Buscando mostrar o viés dos torcedores, coberturas foram feitas em diversos locais. A praça Mauá, no Rio de Janeiro, o Farol da Barra e o Pelourinho, em Salvador e os inúmeros lugares que reúnem estrangeiros em São Paulo foram o palco de muita gente do Time do Tas.

E que tal ver uma partida do Brasil dentro de um avião? Ou numa escola? Ou até no Canadá? O Time do Tas esteve presente em todos esses lugares. A equipe também soube emitir a sua opinião, o que aconteceu nos textos sobre o Philippe Coutinho, sobre a Copa ser ou não pão e circo e sobre a “futebolização da política”.

Tá achando que acabou? A igualdade de gênero dentro do futebol foi o tema de diversas matérias. Teve até um texto especial que denunciou casos de assédio a mulheres dentro de um trem na Rússia.

Por falar em assuntos sérios, o que dizer da matéria sobre o duelo de goleiros galãs que houve nessa Copa? Após ler um texto desse, é capaz de ficarmos até sem ar. Talvez seja melhor não falar mais nada…

O apito final

Após mais de 120 mil leituras em cerca de 300 textos publicados, o Time do Tas se despede dessa cobertura com a sensação de dever cumprido. Valeu a pena todo o esforço, toda a dedicação, todo o aprendizado. Valeu a pena passar por situações de pressão. Saímos dessa Copa não como diamantes, mas como jornalistas mais experientes. E experiência é tudo! Nada melhor do que terminar essa cobertura como começamos, com algo dito pelo Marcelo Tas no curso de cobertura da Copa: “Para qualquer profissional, a experiência de vida é muito importante. Mas para um jornalista, a experiência de vida é fundamental, pois lá na frente, na hora de juntar os pontos da sua própria vida, você estará mais preparado para contar qualquer história”. Obrigado por essa experiência, Time do Tas!

Daniel Aloisio e Josuá Barroso para o Time do Tas.